terça-feira, 12 de setembro de 2017

Sem diploma, Joesley pode ficar preso em cela comum

Joesley Batista deixa a sede da Polícia Federal, em São Paulo, e segue para Brasília (Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo)

Se transferido da Polícia Federal (PF) de Brasília para um presídio comum, o executivo da J&F Joesley Batista terá que ficar encarcerado numa cela comum. Isto porque Joesley não tem diploma de ensino superior. No Brasil, a legislação prevê condições diferentes para a prisão em caráter provisório (antes do julgamento). Por isso, presos com ensino superior podem ficar em prisão especial. Ou seja, separados de "presos comuns".

Por enquanto, não há perspectiva de transferência do bilionário. A prisão temporária dele foi decretada no último domingo pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e tem validade de 5 dias úteis.A decisão foi tomada a partir do pedido de prisão do empresário feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O procurador entendeu que Joesley omitiu informações dos investigadores em sua delação premiada, o que quebraria as cláusulas do acordo de colaboração firmado junto à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Em perfil da revista "Piauí", publicado em fevereiro de 2015, o empresário disse que aprendeu a administrar as empresas e frigoríficos "na prática" e diz que nunca fez cursos de administração ou contabilidade.

Também sem diploma, Eike Batista chegou a ficar preso em cela comum no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

O Globo


0 comentários:

Postar um comentário