quinta-feira, 20 de julho de 2017

Sesc Petrolina apresenta programação da 13ª Aldeia do Velho Chico

Com o tema “...Enquanto é possível mergulhar”, o Festival propõe uma reflexão, por meio da arte, de questões ligadas à preservação do rio São Francisco, de gênero, étnicas, entre outras abordagens. Entre as atrações musicais do festival estão as cantoras Ceumar, Sandra de Sá e As Bahias e a Cozinha Mineira (Foto: Karen Lima)

O mês de agosto traz novos ares à cena cultural do Sertão Pernambucano. De 1º a 12, o Sesc Petrolina realiza a Aldeia do Velho Chico – Festival de Artes do Vale do São Francisco. Em sua 13ª edição, a programação conta com shows, espetáculos teatrais e de dança, literatura, cinema, oficinas, gastronomia e artesanato.

Com o tema “...Enquanto é possível mergulhar”, o Festival propõe uma reflexão, por meio da arte, de questões ligadas à preservação do rio São Francisco, de gênero, étnicas, entre outras abordagens. Para isso, centenas de artistas regionais e nacionais se revezarão em polos localizados em Petrolina-PE, Lagoa Grande-PE e Juazeiro-BA, com uma programação que dialoga com o tema proposto. Consolidado como importante projeto multicultural do Vale, a Aldeia é um desdobramento do Palco Giratório, maior projeto de artes cênicas em circulação no país e que completa este ano 20 edições.

“O Sesc entende a importância de estimular e promover a produção e difusão artística. O Festival Aldeia do Velho Chico reafirma esse compromisso e faz do Sertão do São Francisco um importante polo cultural, transformando positivamente a sociedade por meio da cultura”, ressalta o gerente do Sesc Petrolina, Hednilson Bezerra.

PROGRAMAÇÃO - A abertura acontece no dia 1º de agosto, às 19h, no terraço da Galeria de Artes Ana das Carrancas, com o debate “Protagonismo Negro”. Às 20h, no mesmo local, o Núcleo Biruta de Teatro, de Petrolina, apresenta o “Recital Ponto Poético”. A cantora mineira Ceumar encerra a programação de abertura, às 20h30. Ela vai apresentar, no Teatro Dona Amélia, o show “Solo”, trazendo canções do disco “Silencia” e outras da carreira.

“Nós pensamos cuidadosamente em artistas que poderiam contribuir com o aprofundamento do tema, sob um cunho mais político. Então, estruturamos uma programação que inclui Tio Zé Bá, aqui da cidade, Sandra de Sá, artista negra que tem um trabalho de luta, o lançamento do filme “Divinas Divas”, de Leandra Leal e que propõe essa reflexão de gênero, entre outras atividades”, explica o supervisor de cultura do Sesc Petrolina, Jailson Lima.

Na quarta-feira (2), às 15h, no Teatro Dona Amélia acontece a Mostra Pedagógica das oficinas realizadas no mês de julho na APAE Petrolina; Centro de Artes e Esporte Unificados (CEU das Águas), no bairro Rio Corrente; Espaço Cultural Filhos de Zaze, em Juazeiro-BA; no Centro de Ensino Técnico e Profissionalizante (Cetep) em Lagoa Grande; Ilha do Massangano; e no Caic de Petrolina. Às 16h, o grupo Estilizarte, Projeto Gingaé e Bando Maré de Março da Beira do Rio e a Quadrilha Junina Encanto Nordestino se apresentam no Salão do Sesc.

Às 17h, o convite à variada programação do Festival ganha as ruas no tradicional cortejo “Abre Alas pro Velho Chico”, que sai do Sesc em direção à Orla da cidade, com a Frevuca e Orquestra de Frevo; Quadrilha Junina Pisa na Fulo, Fanfarra da Escola Eduardo Coelho, Quadrilha Buscapé e Núcleo de Pesquisa em Circo. No Palco Porta do Rio, na Orla, a festa continua a partir das 18h, com o Reisado da comunidade quilombola Mata de São José, Baque Opará, Samba de Veio da Ilha do Manssangano, Mestre Galo Preto e a cantora Isaar.

Na quinta-feira (3), às 15, a programação toma conta do centro comercial de Petrolina, com a atriz pernambucana Odília Nunes, encenando “Ester”. Às 17h, no Ceu do bairro Rio Corrente, o Coletivo Tripé de Petrolina apresenta o espetáculo “Meu querido catavento”. À noite, às 19h, será aberta na Galeria de Artes Ana das Carrancas a exposição “Caledoscópio”, dos recifenses Gil Vicente, Marcelo Silveira e Daniel Santiago. A cantora petrolinense Camila Yasmine fecha a programação da noite, a partir das 20h, no Teatro Dona Amélia, com o show de lançamento do seu primeiro CD, “Ribeirinha”.

No dia 4 de agosto, a partir das 15h, Odília Nunes leva “Ester” de volta ao centro comercial. Às 17h, a programação acontece no Ceu do Rio Corrente, com o espetáculo teatral “Sarapopéia”, da Trup Errante. O tradicional Muro Galeria, com o Painel Visualidade do Aldeia, vai acontecer às 18h, com Glauber Arbos, do Recife, e Felipe Rheim, de Juazeiro-BA. No terraço, às 19h, tem Poesia no Jardim de Ana “Resistência Poética”, com João Gilberto Guimarães e Virgulados. A cantora carioca Sandra de Sá será a estrela da noite, com apresentação às 20h30, no Teatro Dona Amélia.

DESCENTRALIZADA – Em seu primeiro final de semana (5 e 6), a programação do Aldeia chega às Ilhas e à comunidade do Lambedor, em Lagoa Grande. No sábado (5), às 10h, tem performance do Clã Virá e intervenção da mineira Dudude Hermann na Ilha do Fogo. Das 16h às 19h, o Lambedor recebe Odília Nunes, com “Decripolou Totepou”, Afoxé Filhos de Zaze, Coco das Irmãs Lopes e o Reisado da comunidade quilombola do Lambedor. Às 20h30, o grupo NATA apresenta “Iyá Ilu”, no teatro Dona Amélia.

Domingo (6), das 10h às 19h, o Aldeia toma conta da Ilha do Massangano. A programação começa com a intervenção de Dudude Hermann, seguida por “Ester”, de Odília Nunes. Às 16h30, o Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina apresenta o espetáculo “Ação nº03 – Procura-se um corpo”. Logo depois a Cia Balançarte apresenta “Chão”. No início da noite, o Coco das Irmãs Lopes faz a festa, que será encerrada com os donos da casa, o Samba de Veio da Ilha do Manssangano. No mesmo dia, às 20h30, o grupo pernambucano Totem, apresenta a performance “Retomada”.

Segunda-feira (07), é dia de poesia na Biblioteca do Sesc. Será “Indianeidades: territórios poéticos de afirmação”, com Fernanda Luz, Fred Nascimento, Claudia Truká e Edvânia Granja, às 15h. O Palco do Bambuzinho, no Centro de Petrolina, recebe, às 17h, a Tribo Truká, que apresenta o Toré. Às 19h, no Ceu do Rio Corrente, Dudude Herrman apresenta “Sublime Travessia”. No mesmo horário, acontece na escada do teatro, no Sesc, a “Degustação Literária”, com Virgílio Siqueira (Petrolina-PE). Às 20h30, o Palco Giratório aporta no teatro Dona Amélia, com o espetáculo “Ledores do Breu”, da CIA do Tijolo, de São Paulo-SP.

No dia 8, a programação começa às 15h na Biblioteca do Sesc, com Pensamento Giratório “Processos de criação e os movimentos da história”, com Cia do Tijolo e Cia Biruta. Às 17h, A “Sanfonástica Mulher-lona” será apresentada na Praça do Bambuzinho, por Lívia Mattos. Às 18h, os freqüentadores do Parque Municipal Josepha Coelho poderão apreciar a apresentação de “Ao Mar”, com o Grupo Sarau das Seis. O artista Cleybson Lima vai levar as questões de gênero ao Ceu do Rio Corrente, às 19h, com o espetáculo “Sentimentos Gis”. No mesmo horário, na escada do teatro, a “Degustação Literária” tem a participação de Pók Ribeiro. A noite de terça será encerrada em grande estilo, com o lançamento do filme lançamento do Filme “Divinas Divas”, e a participação de Jane di Castro.

Quarta-feira (9), das 10h às 17h, a “Mostra Flutuante” vai acontecer no ponto das barquinhas, na Orla da Cidade. Às 15h Jane di Castro, Mycaella Bezerra, Geraldo Pontes e Thom Galiano debatem a “Diversidade em cena”, na Biblioteca do Sesc. O espetáculo teatral “3x Plínio Marcos”, com o Núcleo de Teatro do Sesc Petrolina, é atração às 19h, no Ceu Rio Corrente. Ao mesmo tempo, no Sesc, acontece “Degustação Literária” com Milena Silva. Às 20h30 no Teatro Dona Amélia, o grupo Carmim apresenta o espetáculo a “A Invenção do Nordeste”.

A programação começa às 15h no dia 10, com o debate sobre a “Re (invenção) do Nordeste”, com Durval Muniz de Albuquerque, Quitéria Kelly, Edmerson Reis e Elson Rabelo. Às 17h, quem estiver no Centro da cidade poderá assistir na Praça do Bambuzinho ao espetáculo teatral “Las Mariposas”, com o grupo Nexto. Às 19h, no Ceu Rio Corrente, o Núcleo de Teatro Biruta apresenta “Processo Medusa”. Na mesma hora, a “Degustação Literária” recebe no Sesc Petrolina o professor Pinzoh. O Palco Giratório traz às 20h30 ao Teatro Dona Amélia, o espetáculo “Hamlet – Processo de Revelação”, do Coletivo Irmãos Guimarães (Brasilia-DF).

No penúltimo dia, sexta-feira (11), a partir das 14h as ruas do Centro de Petrolina receberão a performance “Cegos”, do Desvio Coletivo (São Paulo-SP). Às 15h, na Biblioteca do Sesc, acontece mais um Pensamento Giratório “Processo de Criação”, com Emanuel Aragão e Henrique Fontes. No mesmo local, às 17h, será lançado o Livro “Década Carmim” – Grupo Carmim. No Ceu do Rio Corrente, às 19h, o Coletivo Incomum de Dança apresenta o espetáculo “Que Corpo é esse?”. Ainda Às 19h, no Sesc Petrolina tem Degustação Literária com Sida Pinheiro. Em seguida, no Teatro Dona Amélia, às 20h30, o Grupo Carmin apresenta o espetáculo “Jacy”. A partir das 22h, o Aldeia leva sua programação a Juazeiro da Bahia, para o Espaço Cultural Filhos de Zaze, no bairro Quidé, com a apresentação Ciclo, de Gean Ramos; o Reisado da Comunidade Quilombola do Lambedor e o Afoxé Filhos de Zaze.

No sábado (12), a intensa programação do Virarte encerra o Aldeia do Velho Chico. O último dia do festival começa às 16h, e toda a programação acontece no Sesc. Uma Mostra de Coreografias abre as atividades, seguida por apresentação às 17h pelo Coral Vozes do Sertão, do IF Sertão. Às 18h a Cia de Dança do Sesc apresenta o espetáculo “Eu vim da Ilha”. Às 19h o Tio Zé Bá anima o público.

Às 20h tem o espetáculo “Manga com Leite”, da Cia Alysson Amâncio, e no mesmo horário Juliano Varela apresenta o espetáculo “Tempos Difíceis”. Carol Andrade apresenta uma performance às 21h, e em seguida, o espetáculo “Cavalo (em processo)” será apresentado pela Qualquer Um dos 2 Cia de Dança. Às 23h sobem ao palco As Bahia e a Cozinha Mineira, seguidas de “Dancing Queen” com participação de Jane di Castro e DJ Candite. A DJ Lizandra Martins encerra a edição do festival com seu setlist de “Antrópica: Ritmo e Ecologia Humana”.

Ainda durante o Virarte, das 15h às 22h, o Mercado Cultural vai funcionar no corredor do Sesc comercializando diversos produtos. Durante todos os dias do festival, será possível apreciar no hall do Sesc a exposição “Painel Instantâneo”.

DOAÇÃO - Neste ano, para ter acesso à programação do Virarte, o público pode optar por pagar R$5 ou doar 1 kg de alimento não perecível para o Banco de Alimentos do Sesc Petrolina, um dos modelos de atuação do Mesa Brasil Sesc – Rede Nacional de Solidariedade e Cidadania. Um programa de responsabilidade social do Sesc que atua para diminuir o abismo da desigualdade social no país, minimizando os efeitos da fome e da desnutrição.

PARCERIAS – Realizado pelo Sesc , o Aldeia do Velho Chico conta com o apoio da Prefeitura de Petrolina, Prefeitura de Lagoa Grande, Instituto Federal do Sertão Pernambucano e TV Grande Rio.

Serviço - Festival Aldeia do Velho Chico
Local: Petrolina, Juazeiro e Lagoa Grande
Data: 1º a 12 de agosto
Ingressos: Teatro D. Amélia: R$ 20 (Usuário), R$ 10 (Comerciário/Dependente) nos demais locais a entrada é gratuita, porém, limitada à capacidade de cada espaço.
Virarte: 1kg de alimento não perecível ou R$5
Informações: (087) 3866-7454

Dupla Comunicação


0 comentários:

Postar um comentário