quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Reajuste salarial para PMs e bombeiros de PE é aprovado em segunda votação na Alepe

Bancada da oposição se retirou do plenário durante a votação, alegando ilegitimidade (Foto: Marina Meireles/G1)

Diante de poucos espectadores nas galerias do plenário, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou em segunda votação, nesta quarta-feira (15), a proposta de reajuste salarial para policiais e bombeiros militares do estado. Apesar de a discussão não ter sido acirrada como a da primeira votação, na terça-feira (14), 32 parlamentares foram favoráveis ao projeto do governo que prevê aumentos entre 25% e 40% para os profissionais. Outros dez deputados, contrários à tramitação do projeto na Casa, se retiraram do plenário durante o momento dos votos.

Com o resultado, o projeto segue para redação final na manhã da quinta-feira (16) e será encaminhado para a sanção do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, na sexta-feira (17). A oficialização do reajuste deve ser feita em publicação no Diário Oficial do Estado no sábado (18).


Assim como na terça, o deputado Silvio Costa Filho (PRB) saiu da sessão e informou que, ao fim da primeira votação, enviou um ofício ao Procurador Geral da Alepe, Ismar Teixeira Cabral, para solicitar informações sobre os ritos de tramitação, já, que do ponto de vista da oposição, a votação é ilegítima. "Temos muita confiança que esse processo possa ser rediscutido aqui na casa", explicou.

O parlamentar também afirmou que a bancada de oposição aguarda o posicionamento do procurador e estuda judicializar o caso para reverter a votação. “O processo jurídico já está sendo construído. Esperamos até sexta ingressarmos com essa ação para que o processo seja revisto. O governo perdeu uma oportunidade de construir esse projeto de forma democrática, apresentando os números com transparência”, argumentou o líder da oposição. Ainda de acordo com o deputado, há esforços para que o diálogo seja retomado logo após o carnaval.

Líder do governo, o deputado Isaltino Nascimento (PSB) já esperava o resultado favorável da segunda votação e frisou, mais uma vez, que a proposta atende aos anseios da tropa. "O projeto contempla o aumento salarial reivindicado pelos profissionais e também valoriza o Plano de Cargos e Carreiras", pontuou.

Para o deputado, o fato de a oposição buscar judicializar o processo não preocupa os parlamentares que acreditam na proposta salarial do governo para PMs e bombeiros. “O projeto vai ao encontro das expectativas da categoria e garante ganhos reais para os profissionais. Na nossa ótica, o projeto é legítimo, e a oposição tem participado dos debates. Eles se ausentaram apenas durante a votação”, defendeu.

Operação Padrão

Durante a primeira votação do projeto de reajuste salarial dos PMs e bombeiros, na terça (14), representantes da categoria e membros da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE) estiveram presentes do lado de fora da Alepe para aguardar o resultado. Após a aprovação da proposta, o presidente da Associação, Albérisson Carlos, afirmou que o resultado leva a categoria a manter a Operação Padrão, deflagrada há dois meses.

Gritando frases como "não vai ter Galo", a categoria sinalizou que a segurança do carnaval pode ser comprometida devido à aprovação do projeto. Apesar do descontentamento com a proposta do governo, o presidente da ACS-PE, Albérisson Carlos, alegou que a categoria não deseja greve. Ainda assim, ele não descartou a possibilidade de paralisação dos policiais e bombeiros.

G1 PE


0 comentários:

Postar um comentário