terça-feira, 19 de julho de 2016

Vão destruir o Fies, diz Humberto sobre política de Temer para a educação

Líder do PT critica ações do Ministério da Educação, comandado por Mendonça Filho, do DEM (Foto: Alessandro Dantas/Liderança do PT)

O senador Humberto Costa (PT-PE), líder do PT no Senado, criticou duramente as mudanças propostas pelo governo interino de Michel Temer (PMDB) realizadas no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Segundo Humberto, as medidas seguem na contramão da necessidade do país de ampliação do acesso à universidade e mostram o descaso da gestão compartilhada de PMDB, DEM e PSDB em relação à educação.

“O que eu vejo é, dia após dia, a desconstrução de todas as políticas públicas voltadas para a educação, em um ministério comandado pelo DEM e loteado para a iniciativa privada. Afinal, os postos mais importantes estão sendo ocupados por testas-de-ferro das universidades particulares. Então, todas as políticas exitosas estão sendo desmanteladas: Ciência Sem Fronteiras, Fies, Prouni, Sisu, Enem. Estamos indo no sentido contrário de todo o avanço que conquistamos nesses últimos 13 anos”, afirmou o líder do PT.

Na última sexta-feira (15), o ministro da Educação, o pernambucano Mendonça Filho (DEM), anunciou as primeiras mudanças, que já geraram críticas de instituições de ensino superior. Pelas novas regras, parte da remuneração destinada aos bancos será custeada pelas faculdades que participam do programa. As entidades afirmam que a mudança deve gerar impacto no reajuste das mensalidades já no ano que vem.

“Essa medida prejudica apenas os estudantes. São eles que, no final, vão pagar essa conta. Pelos cálculos do governo interino, serão cortados incentivos da ordem de R$ 400 milhões para o programa. E tem gente que ainda quer que a gente acredite que essa é uma medida boa”, alfinetou Humberto. Criado no Governo Lula, o Fies beneficia hoje 220 mil alunos em todo o país.

Além disso, a equipe do Ministério da Educação planeja novas mudanças, se conseguir impedir, definitivamente, a presidenta Dilma Rousseff ao fim do processo de impeachment. Entre elas, estão a alteração no critério de seleção de estudantes e o corte no número de cursos ofertados.

“O Fies é um programa aprovado pela população, que surgiu para subverter uma lógica de que os mais pobres não podem ter acesso à universidade até porque não poderiam pagar pelo ensino em instituições privadas. O que o governo golpista quer, claramente, é restringir o acesso de parte da população pobre ao programa, subvertendo toda a lógica e isso inadmissível”, afirmou Humberto. "É a reelitização da educação superior."

Assessoria de Imprensa Senador Humberto Costa


0 comentários:

Postar um comentário