segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Ministro Fernando Filho é vaiado e chamado de golpista em congresso da UVP em Petrolina


O Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, foi vaiado no início da tarde deste domingo, dia 29, durante o encerramento do congresso da UVP – União dos Vereadores de Pernambuco, em Petrolina, no Sertão do São Francisco, quando proferia uma palestra, sobre a ‘Reforma Política e Atual Cenário Brasileiro’, em um hotel de luxo, na orla da cidade, para cerca de 150 vereadores do estado.

A palestra ocorria com tranquilidade até o momento do debate das privatizações realizadas pelo Governo Federal; sendo aberto o espaço para questionamentos dos parlamentares sobre vários assuntos tratados pelo Ministro Fernando Filho.

Na ocasião, a vereadora Cristina Costa (PT), discordou do ponto de vista do ministro petrolinense, quando tratava sobre os benefícios da privatização do Pré-Sal, ocorrida na última sexta-feira, onde o Governo Federal leiloou 8 áreas de exploração.


Na oportunidade, o ministro defendeu que as privatizações iriam gerar mais de 500 mil empregos, no entanto, a vereadora petista rebateu, afirmando que Fernando Filho acabou com o ‘conteúdo nacional’, ou seja, impedindo a participação da indústria brasileira de fornecer bens e serviços. Com a nova lei, o Brasil poderá ampliar o número de desempregados, que atualmente se encontra em 14 milhões.

Os parlamentares que acompanhavam o debate ovacionaram o ponto de vista da parlamentar ao defender a soberania nacional na exploração de recursos e, ao mesmo tempo, vaiaram o Ministro Fernando Filho com gritos de ‘golpista, golpista’.

Segundo vereadores que participaram do evento, a assessoria do ministro entrou em ‘alvoroço’ para tentar contornar a situação após os gritos de ‘golpista, golpista’. No entanto, não adiantou, a vereadora petista deixou o ministro petrolinense sem argumentos após seu posicionamento, e a péssima avaliação do Governo de Michel Temer entre a classe política de Pernambuco, corroboraram para o vexame de Fernando Filho, no próprio berço político.

Blog do Roberio Sá


0 comentários:

Postar um comentário