sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Codevasf inicia cooperação com Cabo Verde para uso múltiplo e sustentável de barragens

Primeiro passo foi visita técnica às ilhas de Santiago, Santo Antão e São Nicolau, que resultou em uma análise da infraestrutura do país e propostas de um modelo de gestão das barragens (Foto: Divulgação/Codevasf)

O conhecimento técnico da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no tema da segurança de barragens está ajudando a República de Cabo Verde, país insular que convive com clima árido e semiárido, a otimizar suas barragens recentemente construídas, de modo que elas tenham uso múltiplo e sustentável, inclusive para irrigação.

A interlocução entre a Codevasf e o governo cabo-verdiano está sendo liderada pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO/ONU), que coordenou uma visita técnica do engenheiro ambiental e coordenador de Projetos Especiais - Segurança Barragens, Emílio de Souza Santos, às ilhas de Santiago, Santo Antão e São Nicolau.

O objetivo da missão foi realizar uma avaliação preliminar das condições técnicas e estruturais em que se encontram as barragens recentemente construídas em Cabo Verde, analisar as condições de otimização da água das mesmas e propor medidas ao Ministério da Agricultura e Ambiente do Governo de Cabo Verde.

“A FAO procurou a Codevasf por seu prestígio e experiência na gestão de infraestruturas hídricas em condições muito próximas da realidade semiárida das Ilhas de Cabo Verde”, explica o assessor para Recursos Hídricos e Saneamento do Ministério da Agricultura e Ambiente do Governo de Cabo Verde, Miguel Moura, destacando que um dos maiores desafios do país, que enfrenta estiagem prolongada, é mobilizar a água para usos múltiplos.

“Recentemente, Cabo Verde optou pela construção de um conjunto de barragens para recolher, armazenar e distribuir a água na irrigação. O grande desafio dessas barragens é garantir sua sustentabilidade perante riscos e incertezas inúmeras. A Codevasf poderá nos ajudar a entender os riscos e as incertezas associadas à construção dessas barragens”, avalia Moura.

Segundo ele, “o fato de a Codevasf desenvolver ações na bacia do rio São Francisco, que cobre uma parte das áreas menos chuvosas do Brasil, abre oportunidades para um grande potencial de cooperação. Ademais, os técnicos da Codevasf estão habituados a trabalhar em ambientes muito próximos da realidade de Cabo Verde”.

Escopo inicial

Foram realizadas inspeções visuais, entrevistas com técnicos do Governo e levantamento de documentação técnica sobre nove barragens localizadas nas ilhas de Santiago (Salineiro, Poilão, Faveta, Saquinho, Figueira Gorda, Flamengo e Principal), Santo Antão (Canto da Cagarra), São Nicolau (Banca Furada).

“O objetivo foi realizar a missão de escopo inicial para avaliação da segurança, otimização do uso de água e definição de um modelo de gestão hidroagrícola dessas barragens, onde identificamos falta de otimização do uso de água pelos irrigantes, ausência de uma associação de irrigantes e, na parte de barragens, problemas como infiltração, assoreamento e falta d'água”, relata Emílio Santos, da Codevasf.

Da missão, foi elaborado um relatório técnico com análise detalhada do aspecto estrutural das barragens, uma proposta de modelo de gestão da infraestrutura a fim de otimizar o uso de água para irrigação, bem como apresentação de especialidades da Codevasf para cooperações futuras.

“As barragens do Governo de Cabo Verde têm um grande potencial para aumentar a produção dos agricultores da região e melhorar a qualidade de vida da população. A Codevasf está à disposição do governo, contribuindo com sua expertise no desenvolvimento e revitalização de bacias hidrográficas, atuando na área de gestão de projetos hidroagrícolas, utilização sustentável dos recursos naturais e estruturação de atividades produtivas para inclusão econômica e social”, salienta o engenheiro.

Armazenamento de água

A barragem é uma importante infraestrutura de desenvolvimento que consiste em uma barreira artificial construída em um vale, objetivando o armazenamento da água a ser utilizado para diversos fins. Entre eles estão regularização de vazão, controle de cheias, abastecimento humano e industrial, produção de energia, irrigação, retenção de resíduos minerais e industriais, piscicultura e lazer.

“Com objetivo de promoção do desenvolvimento regional e revitalização de bacias, a Codevasf realizou diversas intervenções em barragens de usos múltiplos, como projeto, construção, recuperação, operação e transferência de recursos por meio de convênios com estados e municípios”, observa Emílio Santos.

Ao longo de sua história, a Codevasf construiu diretamente 35 barragens, sendo que sete são vinculadas a projetos públicos de irrigação e as outras 28 têm finalidades diversas e são monitoradas pela empresa, além de diversas outras em que a Codevasf atuou indiretamente como apoio a estados e municípios. As barragens são inspecionadas anualmente desde 2012 pelo Grupo de Segurança de Barragens. Com base nas inspeções, são elaborados projetos de recuperação e planos de ação para garantia da segurança estrutural e hídrica das construções geridas pela Companhia.

Mais informações: http://www.codevasf.gov.br

Assessoria de Comunicação e Promoção Institucional da Codevasf


0 comentários:

Postar um comentário