quinta-feira, 27 de julho de 2017

Temer não tem dinheiro para Hemobrás em PE, mas torra bilhões com emendas, diz Humberto


Em audiência pública na Câmara Municipal de Goiana (PE), nesta quinta-feira (27), para debater o futuro da fábrica da Hemobrás na cidade, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou a possibilidade de transferência da produção de hemoderivados para o Paraná, estado do ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), e pediu empenho para que os ministros pernambucanos defendam a manutenção da unidade no município da Zona da Mata Norte do Estado.

O empreendimento está ameaçado desde que Barros anunciou o seu projeto de construir uma fábrica da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia em Maringá (PR), cidade onde tem base eleitoral.

Humberto, que vem articulando movimentos para evitar o esvaziamento da Hemobrás em Goiana, afirmou que o governo do presidente não eleito Michel Temer (PMDB) dispõe de recursos no orçamento para concluir as obras da empresa em Pernambuco, ao contrário do que alegou Barros, em reunião com a bancada do Estado, no começo deste mês.

“Ora, o governo está liberando bilhões de reais em emendas parlamentares para que deputados rejeitem a denúncia de corrupção contra Temer na Câmara. Como o ministro pode dizer que não tem os R$ 200 milhões necessários para finalizar o empreendimento no nosso Estado? Não podemos admitir esse argumento. O que falta é prioridade e atenção com o povo nordestino”, afirmou Humberto.

O evento em Goiana reuniu lideranças políticas, prefeitos e vereadores da região, além de representantes da sociedade civil organizada. “Só poderemos descansar na hora que esse governo corrupto e ilegítimo desistir dessa ideia. Pernambuco tem quatro ministros e eles, que até agora não fizeram nada para impedir esse desmonte, têm de se envolver nessa questão”, disse.

O senador se referiu aos ministros Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Mendonça Filho (DEM), da Educação, Raul Jungmann (PPS), da Defesa, e Fernando Filho (PSB), de Minas e Energia.

O líder da Oposição ainda comemorou a decisão da 4ª Vara Cível do Distrito Federal, esta semana, que determinou a revogação da suspensão da Parceria para Desenvolvimento Produtivo (PDP), referente à produção do fator VIII recombinante. Esse tipo específico é empregado no tratamento de hemofílicos e a parceria faz parte do plano de esvaziar a empresa em Pernambuco e construir uma nova fábrica no Paraná.

Humberto ressaltou que a unidade da Hemobrás de Goiana está localizada em uma área de 48 mil metros quadrados, já recebeu R$ 1 bilhão em investimentos para a sua construção e tem sua conclusão prevista para 2019. "Com os R$ 200 milhões restantes, o empreendimento seria concluído. O prejuízo será enorme caso isso não seja feito", ressaltou.

Por Assessoria de Comunicação


0 comentários:

Postar um comentário