quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Humberto vota por liberação de verba aos Fies e critica governo e Mendonça Filho

O líder do PT ressaltou que, recentemente, foi sancionado um projeto que reduz vagas nas universidades públicas, local prestigiado pelos governos do PT ao longo dos últimos (Foto: Alessandro Dantas/Liderança do PT no Senado)

Presente na sessão do Congresso Nacional desta terça-feira (18), o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), orientou a bancada do partido a votar favoravelmente ao projeto de lei que libera crédito extraordinário de R$ 702,5 milhões do orçamento para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e criticou os governistas e o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), que acompanhou a votação. Humberto chamou o ministro de “mãos de tesoura” por promover cortes de recursos na pasta.

De acordo com o senador, alguns parlamentares da base aliada e integrantes do governo do "presidente sem voto" Michel Temer (PMDB) tentaram vender a ideia de que o PT estava tentando impedir a aprovação da proposta que atende às despesas com os serviços de administração de contratos prestados por agentes financeiros ao Fies.

“Não somente somos favoráveis, como apresentamos também um requerimento pedindo a inversão dessa pauta. O que estava em jogo era o debate sobre os vetos presidenciais. Naturalmente que cabe ao governo, que tem a maioria, viabilizar o quórum para que as votações aconteçam”, explicou. A última sessão do Congresso Nacional, realizada no último dia 6, caiu por falta de mobilização da base de Temer.

Humberto ressaltou que o governo cobrou prioridade para votar a liberação de verba para o Fies, mas age contra a educação do País ao trabalhar pela aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que cria um teto para os gastos públicos pelos próximos 20 anos. “É muita hipocrisia. O governo defende a medida que vai atingir o Fies e fica nos criticando”.

O senador reiterou que o Fies é um dos programas mais avançados do país, construído ao longo dos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma e que beneficia milhares de jovens que jamais teriam a oportunidade de entrar na universidade.

“A iniciativa abriu as portas para que a juventude pudesse estudar e depois fazer a restituição daquilo que foi gasto, com juros baixos, com uma moratória muito importante também”, lembrou.

Durante a sua fala no plenário, Humberto ainda chamou a atenção dos parlamentares para denunciar a política do ministro “mãos de tesoura, o Ministro da Educação, Sr. Mendonça Filho, que, na verdade, ao longo do período em que está à frente do Ministério, só tem feito cortar gastos, reduzir ações”.

O líder do PT ressaltou que, recentemente, foi sancionado um projeto que reduz vagas nas universidades públicas, local prestigiado pelos governos do PT ao longo dos últimos.

“Criamos milhares e milhares de vagas para que os jovens possam ter acesso à universidade, criamos o Prouni. Enfim, nós vamos lutar para que essas conquistas não sejam derrubadas, porque a PEC 241 vai levar, em última instância, se for aprovada – e espero que não seja –, à redução de gastos com educação e à redução do alcance de programas como esse”, concluiu.

Assessoria de Imprensa Senador Humberto Costa


0 comentários:

Postar um comentário