quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Cabo e soldado são expulsos pela PM de Pernambuco por roubo de dinheiro de suspeito de assalto

Secretaria de Defesa Social fica no bairro de Santo Amaro, no Recife (Foto: Reprodução/Google street view)

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) divulgou, nesta quinta-feira (7), a expulsão de um cabo e de um soldado da Polícia Militar que foram alvo de investigação por roubo de dinheiro de um suspeito de praticar um assalto no Grande Recife. De acordo com a decisão, publicada no Diário Oficial do estado, a punição ocorreu porque os militares pegaram recursos indevidamente de um homem que acabou sendo preso, em seguida, por um crime contra um casal.

Conforme o documento, o fato aconteceu no dia 10 de abril de 2014, em Bairro Novo, em Camaragibe. Os dois policiais, em exercício da função, adotaram um procedimento irregular antes de apresentar o suspeito de assalto aos superiores. No texto publicado no Diário Oficial, a corporação considera que os militares "se aproveitaram da facilidade proporcionada pela profissão para subtrair certa quantia em dinheiro que estava sob posse do assaltante."


A SDS informa, ainda, que o suspeito de assalto portava um revólver calibre 38 quando invadiu a residência de um aposentado e uma dona de casa, na Rua Vitória Régia. Com um comparsa, o homem roubou aproximadamente R$1.300 em espécie, além de três celulares, um tablet e outros pertences das vítimas. Após a ação, ocorrida às 6h, a dupla deixou o local. Um deles fugiu e o outro se escondeu na garagem da casa assaltada.

As vítimas acionaram a PM por meio do Centro Integrado de Defesa Social (Ciods). Os dois policiais investigados chegaram ao local e encontraram o suspeito na garagem. De acordo com a SDS, o cabo e o soldado capturaram o homem e apreenderam uma arma e parte da quantia roubada. Entretanto, apresentaram ao comando da operação policial apenas o preso e o revólver, ficando com as cédulas.

Além da punição administrativa já anunciada, os policiais respondem a um processo criminal. A Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) informou que o julgamento da conduta dos policiais foi feito sob aspectos ético e moral. Também considerou que “os fatos imputados macularam a honra pessoal, o pundonor policial militar e o decoro da classe”.

Por G1 PE


0 comentários:

Postar um comentário