sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Simepe e Socorro Pimentel debatem forma de contrato dos médicos com Organizações Sociais (OSs) em Pernambuco


A diretoria do Sindicato dos Médicos (Simepe) se reuniu na tarde da última quarta-feira (08/02),com a médica e deputada estadual, Socorro Pimentel (PSL). O encontro teve como objetivo principal discutir a forma de contrato que os médicos têm com o estado de Pernambuco, através das Organizações Sociais (OSs), responsáveis pela gestão das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e de alguns hospitais da Região Metropolitana e do Interior. Os médicos e a parlamentar debateram, também, sobre a precariedade dos serviços públicos no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde), das relações trabalhistas (terceirização/pejotização), projetos legislativos, entre outras demandas importantes para a

Na opinião da vice-presidente do Simepe, Cláudia Beatriz, a reunião com a deputada Socorro Pimentel, foi bastante importante, pois traz um tema que é uma pauta constante da entidade, no que se refere à pejotização na rede estadual de saúde como um todo, em específico o Hospital Regional Fernando Bezerra (Ouricuri), onde ao longo dos últimos anos está havendo o movimento, onde se transfere, além da responsabilidade de assistência, a quebra das relações de trabalho.

Cláudia Beatriz afirmou que o Simepe é totalmente contra a pejotização, defende a realização de concurso público, carreira de estado, pois entende que é esse o formato que se fortalece a assistência à saúde. “Todo ambiente que é bom para o trabalhador também será bom para o usuário, fato este que parece estar sendo esquecido”, pontuou.

Para a deputada Socorro Pimentel, é importante levantar essa bandeira de luta em Pernambuco e fazer com que os médicos sejam contratados de forma legal. “Assim possamos corrigir um erro que acontece há cerca de quatro anos. Correção essa que precisa ser feita o mais rápido possível em prol da classe médica”, enfatizou.

Segundo ela, o Simepe é uma entidade com credibilidade que fala a voz do médico e que se mantém junto às necessidades dos profissionais. “Na verdade, foi a primeira entidade que busquei para saber qual o contexto, dificuldades e problemas que fazem parte da realidade da vida dos médicos pernambucanos. Trata-se de uma instituição que possui um aval que pode nos credenciar para essa bandeira e fazer com que a voz do médico seja ouvida na Assembleia Legislativa de Pernambuco”,assinalou.

Assessoria do Simepe


0 comentários:

Postar um comentário