Publicidade

Publicidade

Ciro Gomes acusa Bolsonaro de mentir para evitar último debate "conseguiu um atestado médico falso"


O candidato Ciro Gomes, do PDT, acusou, nesta quarta-feira (3), o candidato de ultradireita Jair Bolsonaro, em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, de mentir sobre o seu estado de saúde para evitar comparecer no último debate televisionado, na quinta-feira.

Bolsonaro, que no sábado deixou o hospital depois de duas semanas internado por uma facada no abdome durante um comício, disse que não poderá participar do debate da TV Globo, informou a emissora.

Um dos cirurgiões que atendeu o candidato PSL, de 63 anos, proscreveu seu comparecimento ao debate.

Mas Ciro Gomes assegura que Bolsonaro conseguiu "um atestado médico falso".
"Eu quero dizer a você que eu vou tirar a sua máscara, Bolsonaro. Você não pode deixar de ir ao debate. Você está mentindo, e atestado médico falso é crime", declarou Ciro em São Paulo.

"Vá ao debate da Globo que eu vou mostrar que você é uma cédula de três reais", acrescentou.

Bolsonaro tem 32% das intenções de voto, segundo uma pesquisa do Ibope publicada nesta quarta, enquanto Fernando Haddad, do PT, em segundo lugar nas pesquisas, aparece com 23%. Ciro, em terceiro, está com 12%.

Segundo Michael Mohallem, professor de Ciência Política da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a Internet se transformou nos últimos anos em um vetor propagandístico importante, mas o debate televisionado "é um dos pequenos momentos quando existe mais espontaneidade".

Antes da facada, Bolsonaro já havia indicado que não tinha intenção de participar em todos os debates.

Para Mohallem, é "uma boa decisão estratégica. Participar do debate aumenta o risco de exposição negativa".

Por: Estado de Minas

Comentários

Publicidade