terça-feira, 24 de abril de 2018

Nelsinho Baptista comunica que não é mais técnico do Sport


Nelsinho Baptista não é mais treinador do Sport. O comandante rubro-negro convocou uma entrevista coletiva para antes do treinamento desta terça-feira, no CT do clube, e comunicou que não permanece para o restante da Série A. O que causou certa surpresa, afinal, a torcida chegou a aplaudir a equipe depois do empate de 1 a 1 contra o Botafogo, na última segunda-feira, na Ilha do Retiro.

Depois da partida, Nelsinho Baptista deu uma entrevista coletiva como de praxe. Nela, falou que gostou da atuação da equipe e que até queria manter o esquema tático para o restante da Série A. Nos bastidores do clube, o ambiente não estava bom e, caso Nelsinho tropeçasse diante do Botafogo, a demissão era dada como certa. Uma entrevista dada por Leonardo Lopes, diretor de futebol do Sport antes da partida contra o Botafogo foi o estopim para o treinador perder a paciência.

Com Nelsinho Baptista, o Sport acumulou fracassos ao longo da temporada. Foi eliminado na segunda fase da Copa do Brasil, diante do Ferroviário-CE em plena Ilha do Retiro. No Campeonato Pernambucano, saiu na semifinal para o Central. Restou a Série A. O time não conseguiu vencer nas duas primeiras rodadas e é o 17º colocado, com apenas um ponto.

- Estou fora do Sport. Não consigo trabalhar com pessoas que enganam todo mundo - disse ele, em tom duro.

Por outro lado, Nelsinho também sofreu com a crise financeira e remontagem de elenco. Em entrevista exclusiva à TV Globo e ao GloboEsporte.com, o treinador confessou a surpresa que teve ao se deparar com um clube que passa por apertos financeiros. Segundo o treinador, no início das negociações, lhe foi passado que o Leão estava com os cofres em dia.

Além disso, Nelsinho Baptista teve de liderar uma remontagem de elenco. Perdeu nomes importantes como os volantes Patrick e Rithely (que foram para o Internacional), o meia Diego Souza (São Paulo) e o atacante André (que foi para o Grêmio). Este último, Nelsinho confirmou que não esperava perder. Precisando obedecer um teto salarial e controlar os gastos, a diretoria apostou em outro perfil de contratações e trouxe nomes sem tanto peso no mercado brasileiro. Ao todo, foram oito: o lateral-direito Cláudio Winck, os zagueiros Max e Ernando, os volantes Ferreira e Nonoca, o meia Andrigo e os atacantes Carlos Henrique e Hygor.

Após nove anos no futebol japonês, esta foi a segunda passagem do técnico Nelsinho Baptista pelo Sport. Na primeira, conquistou os Campeonatos Pernambucanos de 2008 e 2009 além da Copa do Brasil de 2008, uma das maiores conquistas da história do clube. Nesta temporada, ele comandou o Leão em 17 partidas, acumulando três derrotas, sete empates e sete vitórias.

Confira abaixo os principais tópicos da entrevista de Nelsinho Baptista

Entrevista do diretor Leonardo Lopes

"Estou usando da mesma forma que os diretores usaram com um áudio (entrevista) que vazou ontem. Ouvi. E para consumar a minha demissão, só faltou a derrota do Sport. Por isso convoquei vocês. Até empate eu tenho que aceitar. A cobrança como treinador, tenho de conviver com isso. No futebol é assim. Agora existe uma grande mentira no final. Quando ele diz que essa semana ele deu totais condições de trabalho para a gente. Isso é mentira. Nem no CT ele apareceu."

Carlos Henrique

"Não me deram Carlos Henrique porque não tinham dinheiro para pagar empréstimo ao Londrina. Não é por lesão esse atraso na regularização. Fui para os jogos sem um atacante de ofício e isso me deixou magoado"

Crise financeira

"Ficaram chateados porque eu falei da crise financeira do Sport ao Globo.com. Mas essa é a realidade. Só eles que não sabem?"

Terrorismo no Centro de Treinamento

"O torcedor do Sport merece essa consideração. E eu vim dizendo isso. É um filme que vi há nove anos e estou vendo hoje. O terrorismo dentro do CT. Um dia querem tirar o fisioterapeuta, outro querem tirar o analista, o auxiliar... Eles só trazem problemas para a gente dentro do CT. Nós que temos de buscar soluções. Tiraram Aritana, a psicóloga. E a culpa foi minha. Eu não tenho culpa de nada. Foi feito terrorismo em cima de Tacão, de fisioterapeuta, do DM, para tirarem daqui"

Desabafo e perda de peças

"Eu estou desabafando algo que vem comigo há dez anos. Não consigo ficar calado. A debandada de atletas que saiu daqui, que quiseram sair, foi muito grande. Além de perder atletas, tinha uma crise para trazer jogadores. O trabalho foi bom, o resultado que não. Eu me sinto frustrado. A debandada de atletas que saiu daqui, que quiseram sair, foi muito grande. Além de perder atletas, tinha uma crise para trazer jogadores,"

Futuro

"Eu não tenho nada. Preciso resolver minha situação no Sport. Quero descansar um pouco. Só Deus sabe o que vai acontecer. Meu ciclo no Sport acabou. Essa é minha última passagem. Talvez o torcedor fique magoado comigo, mas lá na frente eles vão entender. "

Sport

"Estou fazendo isso pela instituição. Se eu quiser parar hoje, eu paro. Eu vou curtir minha família e meus netos. Mas se uma declaração dessa acabar com a minha imagem, não pode. Em 2009 aconteceu isso e o Sport caiu. Eu não vou sair calado, estou denunciando isso em respeito ao torcedor. É fácil criticar treinador e jogador. Mas e a diretoria?"

Atrasos salariais

"Convivi com muitos desses problemas. Mas os jogadores confiam na gente. E com esses problemas, eu conversei. Os jogadores foram para o campo, foram para o jogo. Eu não recebo. Não recebi uma imagem ainda. Só duas CLT's (salários relativos a carteira de trabalho)."

Por Daniel Gomes, Recife


0 comentários:

Postar um comentário