segunda-feira, 26 de março de 2018

Incêndio em shopping deixa ao menos 64 mortos na Rússia


Subiu para 64 o número de mortos no incêndio neste domingo (25) em um shopping da cidade russa de Kemerovo, na Sibéria, de acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (26). A cidade fica a cerca de 3.000 km de Moscou.

Entre as vítimas, há crianças, mas o número ainda não foi informado oficialmente, segundo a Associated Press. Seis pessoas seguem desaparecidas.

De acordo com o ministro do gabinete de administração de situações de emergência, Vladimir Puchkov, apenas 15 mortos no incêndio foram identificados até agora.

O novo balanço foi divulgado após os bombeiros fazerem uma varredura nos quatro andares do shopping Winter Cherry. Puchkov anunciou o balanço em uma rede de TV local. Jornais russos, no entanto, reportam que "dezenas de pessoas" estão desaparecidas.


Dez pessoas foram hospitalizadas e pelo menos 40 receberam atendimento médico. A ministra da Saúde, Veronika Skvortsova, afirmou que o paciente que está com o estado de saúde mais grave é um menino de 11 anos, que pulou de uma janela para escapar do fogo. Os pais dele morreram no desastre.

As chamas se originaram em um dos cinemas, que ficava no quarto e último andar do shopping, segundo a EFE. Em vídeos gravados por testemunhas na noite de domingo, era possível ver pessoas saltarem pelas janelas para fugir do fogo.

Já de acordo com a BBC, o fogo pode ter começado depois que uma criança acendeu um isqueiro em uma área de lazer do shopping. A suspeita preliminar, de acordo com a emissora britânica, é de que o fogo tenha se alastrado depois de começar em uma cama elástica.

Detidos

A porta-voz do Ministério de Situações de Emergência da Rússia (CIR), Svetlana Petrenko, informou a detenção de quatro pessoas no inquérito aberto em relação ao acidente, entre eles o proprietário do shopping.

De acordo com investigações preliminares, o alarme de incêndio não foi acionado, por isso, as pessoas que estavam no shopping só perceberam o fogo quando uma fumaça densa tomou conta do prédio.

Testemunhas citadas pela imprensa russa também afirmam que muitas pessoas não conseguiram deixar o local porque as saídas de emergência estavam trancadas.

Os investigadores trabalham com a possibilidade de que tenha havido negligência e violação das normas de segurança. O shopping funcionava em um prédio que, até 2013, abrigava uma confecção.

Os bombeiros demoraram mais de seis horas para controlar as chamas, que afetaram uma área de 1.500 metros quadrados. Segundo a Reuters, parte do teto do estabelecimento desabou, o que tornou mais difícil o acesso aos andares superiores.

Por G1


0 comentários:

Postar um comentário