Publicidade

Médico do IMIP alerta para os riscos do câncer de pele, sobretudo no verão


Com a chegada oficial do verão em Pernambuco, os cuidados com a pele devem ser redobrados, e não apenas quando estiver na praia. Muitas pessoas andam diariamente pelas ruas, sob o sol forte, sem nenhum cuidado, não percebendo os riscos disso. A exposição constante ao sol pode causar sérios problemas à saúde, principalmente câncer de pele.

De acordo com o dermatologista do IMIP, Valter Kozmhinsky, não é possível determinar um horário certo para se expor ao sol, “quanto mais perto das seis da manhã, melhor e quanto mais perto do meio dia, pior. Mas isso depende também da cor da pele da pessoa e da região onde vive”, comenta. Evitar o sol em horários mais quentes e usar protetor solar são medidas fundamentais.

As pessoas de pele branca e olhos claros estão mais suscetíveis ao câncer de pele, por isso precisam ter mais cuidado. Agricultores, pescadores e marinheiros também estão neste grupo de maior risco, devendo redobrar os cuidados.

O dermatologista do IMIP ressalta que é importante estar sempre atento às modificações na pele. Alterações em “sinais” (nevos), como mudança de cor, aumento rápido de tamanho e sangramento e aparecimento de lesões que não cicatrizam facilmente são sintomas de um possível câncer de pele. Mas, como não existe um único tipo câncer de pele, os sintomas são os mais diversos.

O carcinoma baso-celular é o mais comum e de menor gravidade, abrange mais de 80% dos casos. “O tipo mais comum do câncer de pele é caracterizado por uma lesão pequena e brilhosa, que aumenta de tamanho lentamente. Existe também o carcinoma espino-celular (CEC), que aparece na pele como verrugações com sangramento”, alerta Dr. Valter. A forma de câncer de pele mais grave é o melanoma, embora seja mais rara. Esse tipo aparece na pele normal ou em “sinais” (nevos) já existentes, que tornam-se assimétricos, mudam de cor, derramam pigmento e sangram. “Sendo o mais agressivo, o seu tratamento não pode ser feito apenas com a retirada da parte afetada”, explica o médico.

Por isso, nunca é demais alertar para os cuidados que devem ter à exposição solar, sobretudo, no Nordeste. Além de protetor, e de expor ao sol nos horários indicados, é importante usar chapéu. E se algo diferente na pele for notado, a pessoa deve procurar imediatamente um dermatologista. Quanto mais cedo o diagnóstico do câncer de pele, maior a chance de cura.

IMIP

Comentários

Publicidade