Publicidade

Flamengo muda estratégia e engorda elenco para fugir da crise no Brasileiro

Depois do acerto com Guerrero, Emerson Sheik já tem acordo com o Flamengo

O Flamengo não esconde a ansiedade para fugir da crise no Campeonato Brasileiro. Na zona de rebaixamento, o Rubro-negro corre para capacitar o grupo de jogadores. Por isso, a diretoria mudou a estratégia e decidiu engordar o elenco para dar opções ao técnico Cristóvão Borges.

Pouco antes da contratação de Paolo Guerrero, os dirigentes tinham no horizonte a aquisição de um camisa 10 para qualificar o meio de campo e fechar o pacote da temporada. No entanto, cartolas e comissão técnica decidiram trabalhar com pelo menos mais três atletas além da conhecida necessidade.

O camisa 10 deixou de ser o único objetivo. A posição é considerada a de maior carência no elenco e uma obsessão da diretoria. O argentino Montillo é o nome sonhado pelo Rubro-negro desde o início do ano para ocupá-la. Porém, enquanto o prazo para qualquer definição segue distante, o foco na Gávea se voltou para outros três personagens.

Cristóvão já havia solicitado opções para o grupo e a saída de Alecsandro abriu ainda mais o leque. Sendo assim, o atacante Emerson Sheik, o meia Alan Patrick e o lateral direito Ayrton entraram em pauta.


Sheik já tem acordo com o Flamengo para receber metade dos R$ 520 mil mensais a que tem direito no Corinthians. O contrato deve ser firmado até o final do ano em um primeiro momento. No entanto, as partes ainda aguardam a rescisão com o Alvinegro Paulista para a confirmação do vínculo.

As questões envolvendo os palmeirenses Alan Patrick e Ayrton estão em conversas avançadas. Ambos devem firmar compromisso até o fim do ano por empréstimo. Enquanto o camisa 10 dos sonhos não chega, Alan pode tentar suprir a carência no meio de campo. Ayrton é mais uma opção para a lateral em caso de acerto, já que Pará tem a possibilidade de atuar também pelo lado esquerdo.

O diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano está responsável pelas três situações. O profissional trabalha em sigilo para resolver as questões e dar um alento ao torcedor no momento mais delicado da temporada até aqui.

Por Vinicius Castro
Do UOL, no Rio de Janeiro

Comentários

Publicidade