Publicidade

Frases do dia 21/11/2014: Coletânea IHU Online


Livro mostra que dinheiro é grande causa do fim de namoros

"Nem ciúme, nem traição. O dinheiro (ou a falta dele) é um dos grandes motivos para términos de namoro por aqui. É o que mostra o livro 'Seu bolso', que os economistas Dony De Nuccio e Samy Dana lançam, pela Casa da Palavra, este mês. 'Uma maneira fácil para evitar gastos é almoçar mais na sogra. A comida é um dos maiores gastos no orçamento'" – Ancelmo Gois, jornalista – O Globo, 21-11-2014.

Faz sentido...

“O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) divulgou, em outubro passado, que 17% dos casais brasileiros ouvidos num estudo declararam que a maneira como gastam o próprio dinheiro é motivo de briga dentro de casa” – Ancelmo Gois, jornalista – O Globo, 21-11-2014.

Santa hipocrisia

“Agora tem gente fazendo passeata pela volta dos militares ao poder e uma elite escandalizada com os desvios na Petrobras. Santa hipocrisia. Onde estavam os envergonhados do país nas décadas em que houve evasão de R$ 1 trilhão --cem vezes mais do que o caso Petrobras-- pelos empresários?” – Ricardo Semler, empresário, é sócio da Semco Partners – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Tentáculos

“É ingênuo quem acha que poderia ter acontecido com qualquer presidente. Com bandalheiras vastamente maiores, nunca a Polícia Federal teria tido autonomia para prender corruptos cujos tentáculos levam ao próprio governo” –Ricardo Semler, empresário, é sócio da Semco Partners – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Barrento

“A turma global que monitora a corrupção estima que 0,8% do PIB brasileiro é roubado. Esse número já foi de 3,1%, e estimam ter sido na casa de 5% há poucas décadas. O roubo está caindo, mas como a represa da Cantareira, em São Paulo, está a desnudar o volume barrento” – Ricardo Semler, empresário, é sócio da Semco Partners – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Dedão na lama

“Cada um de nós tem um dedão na lama. Afinal, quem de nós não aceitou um pagamento sem recibo para médico, deu uma cervejinha para um guarda ou passou escritura de casa por um valor menor?” – Ricardo Semler, empresário, é sócio da Semco Partners – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Elite econômica

“A dificuldade é encontrar um ministro com o perfil adequado. Nem pode ser alguém que passe a mensagem de rendição incondicional da presidente aos críticos de sua política econômica, nem alguém que continue a guerra, a atirar nos credores ("mercados") e de parte da elite econômica” – Vinícius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

“Parte”

“Ressalte-se o "parte" da elite econômica, pois muito empresário gostaria apenas de uns ajustes básicos na política econômica, pois gosta do bem bom dos subsídios ainda mais gordos dos anos de Dilma Rousseff, sendo de certo modo, digamos, tão heterodoxos quanto muito economista de esquerda” – Vinícius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Mercados

“Em suma, apesar de haver muitos quadros bons para assumir a Fazenda, a intersecção do conjunto dos ministeriáveis "não muito anti-Dilma" com o conjunto dos "não muito contra os mercados" não chega a ser um conjunto vazio, mas chega perto. Sobra pouca gente. Segundo a especulação de ontem, a tendência ainda era de uma nomeação que vai ficar com cara de capitulação da presidente diante das críticas e da realidade dura” – Vinícius Torres Freire, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Os 12 da CPI

“Os deputados financiados pelas empreiteiras investigadas não podem fazer parte de CPI que investigue as empresas ‘amigas’. Os 12 da CPI atual já deviam ter se declarado impedidos!” - Chico Alencar, deputado federal - PSOL-RJ – O Globo, 20-11-2014.

Tiro certo

“Doações financeiras de empresas de armas e munição ajudaram a eleger 21 parlamentares neste ano, sendo 14 deputados federais, segundo levantamento do Instituto Sou da Paz. De todos os candidatos financiados pelas empresas Taurus e CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos) - que monopolizam o mercado -, 71% se elegeram” –Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Tiro 2

“Metade do R$ 1,7 milhão dado pelas duas empresas foi para o PMDB e o DEM. Os Estados que concentraram doações foram Rio Grande do Sul e SP. Para a ONG, as doações às "bancadas da bala" se revertem em projetos que beneficiam as indústrias e ampliam o porte de arma” – Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

Tiro 3

“As empresas declaram que suas contribuições "estão de acordo com a legislação". "As doações são realizadas para integrantes da Frente Parlamentar pelo Direito à Legítima Defesa e de acordo com critérios estabelecidos pela Aniam (Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições)" – Mônica Bergamo, jornalista – Folha de S. Paulo, 21-11-2014.

PT quer reduzir cota de Dilma

"A direção do PT, nas reuniões para tratar da reforma ministerial, defende a redução das indicações pessoais da presidente Dilma. Os petistas avaliam que o partido perderá espaço devido à pulverização partidária. E, por isso, querem na Esplanada petistas que tenham maior trânsito no Congresso. Tratados a pão e água no primeiro mandato, os aliados terão mais espaço no Ministério" - Ilimar Franco, jornalista - O Globo, 20-11-2014.

Voando alto

“Mal-estar no governo. Um avião da FAB está saindo no final do mês para o Marrocos (África). Ele vai carregando uma comitiva da Secretaria de Direitos Humanos de 28 pessoas para participar do II Fórum Internacional dos Direitos Humanos” - Ilimar Franco, jornalista - O Globo, 20-11-2014.

O caminho da rua

“Os tucanos estão vidrados com a manifestação contra o governo Dilma que reuniu 10 mil em São Paulo. Avaliam que a Operação Lava-Jato é mobilizadora. Só não sabem se apostam nessa via por conta dos que defendem a volta dos militares” - Ilimar Franco, jornalista - O Globo, 20-11-2014.

Fonte: IHU Online

Comentários

Publicidade