Publicidade

Frases do dia 16/10/2014: Coletânea IHU Online


Emocionante...

"O debate entre os candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff e Aécio Neves, realizado pela Rede Bandeirantes de rádio e televisão, na terça-feira à noite, teve méritos indiscutíveis. Pela primeira vez os dois se puseram frente a frente num incrível embate direto. Foi emocionante" - Eugênio Bucci, jornalista e professor da Eca-USP - O Estado de S. Paulo, 16-10-2014.

... mas sem jornalistas

"Só houve um problema. Na terça-feira, nos estúdios da emissora do Morumbi, o jornalismo foi convidado a se retirar do recinto e, infelizmente, aceitou o convite. Ou foi forçado a aceitá-lo. Como sabemos, o marketing político (e, nesse quesito, as duas candidaturas se põem de acordo) tem sido cada vez mais impositivo em fazer valer suas exigências. O marketing não gosta do jornalismo independente e joga pesado. A Band talvez não tenha tido alternativa. Ao longo de décadas ela fez dos jornalistas o maior trunfo nos encontros entre candidatos. Agora teve de ceder" - Eugênio Bucci, jornalista e professor da Eca-USP - O Estado de S. Paulo, 16-10-2014.

Partidos e democracia

"Os partidos que aí estão, contudo, não acreditam na democracia. Acham que o marketing basta. Tripudiam sobre os fatos. Não acreditam na política, só na sedução publicitária. Não acreditam na imprensa. Não reconhecem nos jornalistas a função de arguir o poder. Esses partidos e seus marqueteiros autoritários estão fazendo de tudo para dobrar os meios de comunicação às suas conveniências. E estão conseguindo" - Eugênio Bucci, jornalista e professor da Eca-USP - O Estado de S. Paulo, 16-10-2014.

Bola na trave

“O time de Aécio ficou decepcionado com o novo empate técnico nas intenções de voto depois de uma semana de confronto direto. A expectativa era de abrir uma dianteira de até seis pontos sobre Dilma” – Bernardo Mello Franco, jornalista – Folha de S. Paulo, 16-10-2014.

Desonestidade repugnante

“Em boa ou em má-fé, é possível discordar de tudo o que Dilma Rousseff disse, pensou e significa, desaprová-la até o desprezo, mas insinuar-lhe desonestidade é uma desonestidade repugnante” – Janio de Freitas, jornalista – Folha de S. Paulo, 16-10-2014.

Fonte: IHU Online

Comentários

Publicidade