sexta-feira, 13 de abril de 2018

Presidente de Câmara é preso no RJ com R$ 155 mil na banheira

Dinheiro estava escondido na banheira da casa do presidente da Câmara de Petrópolis
Vereador Paulo Igor foi preso dentro de casa, em petrópolis, no RJ 

O presidente da Câmara de Petrópolis, Paulo Igor Carelli (MDB), foi preso na operação contra crimes de fraude em licitação e peculato na manhã desta quinta-feira (12). O vereador Luiz Eduardo Francisco da Silva, o Dudu (PEN), também é alvo de mandado de prisão, mas não foi encontrado.

A Operação Caminho do Ouro é realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Delegacia Fazendária (DELFAZ). Na casa do presidente da Câmara foram apreendidos R$ 155 mil e 10.300 dólares. O dinheiro estava escondido na bomba da banheira de hidromassagem, em uma gaveta da mesa de cabeceira e dentro de um carro.

Os valores estavam separados e com bilhetes com nomes e iniciais. A polícia vai investigar quem são as pessoas e se elas estariam envolvidas no esquema.

Paulo Igor foi preso em casa e levado para a Polinter, no Rio de Janeiro. Ele vai passar por exame de corpo de delito antes de ser encaminhado ao presídio. A equipe também esteve na casa do vereador Dudu, mas não havia ninguém no imóvel. A operação, encerrada por volta das 11h, cumpriu ainda cinco mandados de busca e apreensão na Câmara, nas residências do presidente da Câmara, na casa de um empresário, onde apreendeu R$ 238 mil, e na empresa Elfe Soluções em Serviços LTDA.


O G1 tenta contato com a defesa dos vereadores. A assessoria de comunicação de Paulo Igor Carelli disse para a equipe de produção da Inter TV que não foi informada oficialmente sobre a operação e prefere não se pronunciar. A assessoria de comunicação de Luiz Eduardo Francisco da Silva, o Dudu, também informou à Inter TV que está esperando mais detalhes da Justiça para se pronunciar sobre o caso.

Por meio de nota, a Elfe Soluções em Serviços LTDA informou que vem prestando todos os esclarecimentos solicitados pela Justiça, desde que tais investigações se iniciaram, há mais de cinco anos.

"A empresa esclarece que desde 2012, quando se encerrou o referido contrato com a Câmara Municipal de Petrópolis, não possui mais nenhum contrato com qualquer órgão da administração pública direta. Em 2016, já sob nova administração, a empresa foi a primeira de seu setor, no Brasil, a obter as certificações ISO de sistemas de compliance e antissuborno. O empresário citado se afastou da empresa em agosto de 2015", diz a nota.

G1


0 comentários:

Postar um comentário