segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Políticos pré-candidatos às eleições deste ano privilegiam suas bases

A maior concentração de repasses a um mesmo Estado ocorreu no Ministério do Meio Ambiente, comandado por Sarney Filho (PV)

A dois meses de deixarem os cargos para disputar as eleições, sete ministros-candidatos do governo Michel Temer aumentaram a liberação de recursos para seus Estados de origem e privilegiaram suas bases eleitorais nas agendas oficiais, segundo o jornal “O Estado de S.Paulo”.

No Ministério do Turismo, Marx Beltrão (MDB-AL) destinou no ano passado R$ 72 milhões para cidades de Alagoas, um aumento em relação ao ano anterior de 269%, o que tornou Alagoas o campeão de investimento em Turismo no país. No Ministério da Saúde, comandado por Ricardo Barros (PP-PR), o valor dos convênios firmados no Paraná mais do que dobrou: chegou a R$ 221,6 milhões em 2017.

A maior concentração de repasses a um mesmo Estado ocorreu no Ministério do Meio Ambiente, comandado por Sarney Filho (PV). Dos R$ 50,5 milhões autorizados via convênios no ano, R$ 37,4 milhões (74%) foram para o Maranhão.

No Pará, o total de R$ 15,2 milhões direcionados à base eleitoral do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho (MDB), é mais do que a soma do que municípios paraenses receberam da pasta nos oito anos anteriores à sua gestão.

O Rio foi privilegiado em repasses do Ministério do Esporte, chefiado por Leonardo Picciani (MDB-RJ). Foram R$ 98,2 milhões no ano passado, o maior valor entre todos os Estados. Na Agricultura, os recursos para prefeituras de Mato Grosso, reduto eleitoral do ministro Blairo Maggi (PP), subiram de R$ 27,6 milhões para R$ 57,6 milhões. No Ministério do Desenvolvimento Social, comandado por Osmar Terra (MDB-RS), os convênios no Rio Grande do Sul cresceram 42% em 2017 e somaram R$ 22,1 milhões.

O Tempo


0 comentários:

Postar um comentário