quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Consultor financeiro é preso por golpe de sistema de pirâmides em Pernambuco

A primeira denúncia foi feita há nove meses por uma empresária que investiu R$ 300 mil. Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil de Pernambuco prendeu na manhã desta quinta-feira, na Avenida Boa Viagem, o consultor financeiro Antônio Ferreira Araújo Júnior, de 41 anos, por crime contra a economia popular. Encaminhado para a Delegacia do Cordeiro, estima-se que ele seria o cabeça do sistema de pirâmides que tinha sede em um empresarial de luxo no Pina, zona sul do Recife, com duração de três anos. Outros três homens também são investigados na fraude que vitimou mais de 100 pessoas e acumulou cerca de R$ 1 milhão.

A falsa casa de câmbio BankInvest investia em pessoas de classe média alta que utilizavam moeda nacional ou estrangeira, prometendo uma rentabilidade de 188% se aplicada em doze meses, sem retirada. Se os clientes trouxessem amigos para o sistema, recebiam uma lucro ainda maior.


O chefe da Polícia Civil de Pernambuco, delegado Joselito Kherle do Amaral, explica que esse tipo de negociação existe no exterior, mas não é regulamentada pelo Banco Central no Brasil. Os suspeitos diziam ter uma sucursal no Reino Unido com três pessoas que cambiavam para eles direto da Inglaterra. Assim, não havia variação na taxa de câmbio. "As vítimas investiam valores de R$ 10 mil a R$ 50 mil. Quem investia R$ 50 mil, por exemplo, resgatava ao longo de 12 meses, R$ 144 mil. Acontece que as pessoas passavam a investir em cima do lucro recebido, sem retirar o valor que já tinham conseguido. Em setembro de 2016, com um alto montante captado, fecharam a empresa", conta.

Foi com a entrega da sede comercial que dezenas de denúncias começaram a chegar na Polícia Cívil. A primeira foi feita há nove meses por uma empresária que investiu R$ 300 mil. Com a reação em cadeia, os quatro suspeitos tiveram as contas bloqueadas por decisão judicial em novembro com um acúmulo de até R$ 1 milhão. Na quinta-feira, o primeiro foi preso. Seguem a cargo da Polícia Civil três mandados de busca e apreensão domiciliar. São investigados crimes de associação criminosa, estelionato, crime contra a economia popular, crimes contra o consumidor e lavagem de dinheiro.

Por Diário de Pernambuco


0 comentários:

Postar um comentário