sábado, 16 de dezembro de 2017

Mais um vereador é assassinado em Batalha-AL em pouco mais de um mês

Vereador Tony Pretinho (PR), 34, foi morto a tiros à porta de sua casa, no centro da cidade de Batalho no Sertão de Alagoas


Pouco mais de um mês após a morte de Neguinho Boiadeiro, mais um vereador de Batalha foi assassinado, na noite dessa sexta-feira, 15. Tony Carlos Silva de Medeiros, 34, mais conhecido como Tony Pretinho (PR), foi atingido por vários tiros de calibre nove milímetros em frente à residencia onde morava, no Centro de Batalha, no Sertão de Alagoas. O crime, que reacendeu o clima de medo no município sertanejo, aconteceu mesmo com a presença de várias forças policiais na cidade.

Horas após o crime, a Polícia Civil designou uma comissão de delegados para dar início imediato às investigações, a comissão é composta pelo delegado de Homicídios da Capital, Fábio Costa, pelo delegado de Santana do Ipanema, João Marcelo, e pelo delegado Eduardo Mero. O grupo deve ouvir as testemunhas do crime nos próximos dias.


Tony Pretinho foi assassinado por volta das 20h, na frente da residência, que fica localizada ao lado do Fórum do município e a poucos metros de distância da casa da família Boiadeiro. As primeiras informações são de que o vereador estava sentado na moto, de costas para a rua, acompanhado por algumas pessoas, quando um Gol de cor preta se aproximou e um homem desceu e deflagrou vários tiros. A vítima foi atingida principalmente na cabeça e morreu na hora. Nenhuma das testemunhas do crime ficou ferida. Após o crime, o veículo seguiu em alta velocidade e por pouco não atropelou uma moradora, que pediu para não ter o nome revelado, que foi para a rua achando que estavam “soltando fogos” na residência do vereador, devido à grande quantidade de disparos de arma de fogo.

Há informações de que o atirador estava usando boné e utilizou a gola da camisa para esconder o rosto no momento do crime. Na frente da residência do vereador e em postes das proximidades há câmeras de vigilância, mas segundo a Polícia Militar, nenhuma delas teria gravado o homicídio.

Blog de Assis Ramaalho
Por: Gazeta de Alagoas


0 comentários:

Postar um comentário