quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Emoção marca homenagem da CPRH a voluntários na luta pelo meio ambiente


Certificado de Amigo do Meio Ambiente foi entregue aos voluntários na solenidade do Prêmio Vasconcelos Sobrinho (Fotos: Divulgação/CPRH)

Muita emoção e alegria marcaram, na tarde desta quarta-feira (13), a homenagem que a Agência Estadual de Meio Ambiente (ICPRH) prestou a voluntários que, ao longo do ano, por iniciativa própria, ajudaram a luta pelo meio ambiente e a preservação das espécies, em diversas histórias positivas de resgate a animais. Em conversas e ao assistirem a uma apresentação de suas histórias, com imagens na tela, as lembranças foram reforçadas na mente e a emoção bateu forte. Todos receberam da Agência o certificado de “Amigo do Meio Ambiente”, durante a solenidade de entrega do Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2017, no auditório do Sinduscon, na Ilha do Leite. Muitos levaram a esposa e os filhos.

Entre as histórias estão a do policial que salvou quatro filhotes de raposas que ficaram órfãos; a de um biólogo que vive no dia a dia a missão do resgate; a da equipe que salvou uma preguiça de uma linha de alta tensão de 500 mil volts; a das irmãs que salvaram duas iguanas de maus-tratos em Pau Amarelo, e a do pedreiro que andou oito quilômetros carregando uma capivara num carrinho de mão, para salvá-la. Todos foram muito aplaudidos ao terem os nomes citados. “São histórias positivas e que mostram que a sociedade está ativa, participativa, o que é muito bom”, destacou o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier.

Confira, abaixo, as histórias de cada um dos homenageados:


OS AMIGOS DO MEIO AMBIENTE

- O pedreiro que salvou uma capivara – FRANCISCO DA SILVA impediu que uma capivara, encontrada num canal em Roda de Fogo, no Recife, fosse morta por moradores que jogavam pedras e pedaços de pau no animal. Resgatou a capivara e, após tentativas frustradas de conseguir apoio, levou o bicho num carro de mão por oito quilômetros, até o Jardim Botânico, onde, enfim, teve ajuda para concretizar o resgate até a CPRH.

- O agente que improvisou um barco para salvar uma garça – Para resgatar uma garça que teve a asa quebrada por uma linha de pipa com cerol, o agente da Brigada Ambiental de Camaragibe SEBASTIÃO AVELINO improvisou um barco com isopor e material de construção civil e conseguiu salvar o animal, numa área de difícil acesso, próximo ao açude de Santa Rita, no Bairro do timbi. Levou até uma bicada na cabeça, mas levou o assustado animal ao Cetas.

- O policial e os filhotes de raposa – O soldado RONMEL SANTOS DE MIRANDA deixou o município de Sairé, no Agreste, para levar à CPRH quatro filhotes de raposa que tinham ficado órfãos. Eles foram encontrados em um sítio, faminto, ao lado do corpo da mãe, morta, possivelmente por envenenamento. Ronmel não perdeu tempo e pensou logo em salvar os filhotes. Fez a entrega à CPRH acompanhado da esposa e dos filhos.

- O empresário que cuidou de uma preguiça – O empresário RAUL DE OLIVEIRA foi surpreendido em sua casa, em Piedade, Jaboatão dos Guararapes, ao encontrar uma preguiça no banheiro que fica no segundo andar do imóvel, agarrada a um cano. Depois do susto, não teve dúvidas: junto com o pai, JOSÉ DE OLIVEIRA, pesquisou na internet e providenciou alimento certo para o animal (folhas de imbaúba). Depois, levou a preguiça à CPRH.

- As irmãs protetoras das iguanas - SOLANGE MARIA DA SILVA e KÁTIA MARIA DA SILVA deixaram os afazeres cotidianos, em Pau Amarelo, para salvar duas iguanas que sofriam maus-tratos na rua. Pegaram os animais e decidiram entregá-los a quem pudesse tratá-los de forma correta. Primeiro, foram ao Horto de Dois Irmãos. Lá, foram informadas que deveriam fazer a entrega à CPRH, para reabilitação. Não perderam tempo e concluíram o resgate.

- O casal e o pintor-verdadeiro – Depois de encontrar uma ave de menos de 13 cm com as penas das asas cortadas, em Gravatá, EDVANIA BEZERRA e o noivo, JOSÉ BERNARDO, cuidaram dela e recusaram proposta de compra. Três meses depois, levaram a um veterinário para saber o seu melhor destino. Souberam então tratar-se de um pintor-verdadeiro, espécie ameaçada de extinção. De moto, vieram ao Recife fazer a entrega voluntária à CPRH.

- O biólogo que coloca a educação ambiental no dia a dia – Com parcerias diversas, o biólogo e educador ANDRÉ MAIA faz um trabalho incansável de educação ambiental. Leva o tema às escolas e, por meio do seu projeto Trilogiabio, tem uma ação diária em prol do meio ambiente. Trabalha contra o tráfico de animais silvestres e é um parceiro importante, também atuando costumeiramente nos resgates.

- O comerciante que salvou uma iguana do cativeiro – PAULO PEDRO DA SILVA cruzou, durante caminhada na Guabiraba, com um jovem que carregava uma iguana presa pelo pescoço por fios de nylon. Ao saber que o rapaz pretendia vender o animal por R$ 15 para quem quisesse cria-lo, seu Paulo irritou-se, mas para evitar confusão, articulou para salvar a iguana do cativeiro. Depois, levou o réptil para que fosse tratado pelo órgão ambiental.

- A equipe que tirou uma preguiça de um fio de alta tensão – Uma equipe de manutenção da Chesf realizou uma verdadeira “operação de guerra” para resgatar uma preguiça de uma linha de alta tensão de 500 mil volts, na BR-101. A ação incluiu a montagem de uma engenhoca com trilhos, ganchos e um carrinho de supermercado. Ao final, o resgate, coordenado por ALISSON SALVADOR, foi realizado com sucesso e a preguiça foi entregue para cuidados

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH
www.cprh.pe.gov.br


0 comentários:

Postar um comentário