quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Bitcoins e a regulação da atividade econômica


Há tempos que o investimento em bitcoin, a moeda virtual mais conhecida do mundo, não está restrito aos amantes de tecnologia. Sua intensa valorização (ultrapassando a barreira de US$10 mil na última semana) tem causado grande furor no mercado financeiro e desperta o interesse de investidores comuns, que pouco entendem sobre o funcionamento do bitcoin. A despeito do crescente interesse pela moeda virtual, seu uso divide opiniões.

De um lado, reforçando a perspectiva dos seus entusiastas, o bitcoin tem sido cada vez mais aceito como meio de pagamento em segmentos diversos. Dentre os argumentos em favor do uso da moeda virtual estão a facilidade e a velocidade nas transações internacionais, uma vez que ela não está sujeita a regulamentação de nenhuma autoridade financeira.

De outro lado, as autoridades monetárias alertam o fato de tratar-se de uma moeda sem conversão garantida para moedas soberanas, sendo assim um investimento de alto risco e altamente vulnerável a ataques especulativos. Para a professora de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas, Leila Pellegrino, “os críticos da moeda virtual chamam atenção para o fato de que a ausência de arcabouço legal e regulatório para criptomoedas possibilita seu uso para transações ilícitas”.

Segundo a especialista, “o debate acerca do uso e difusão da moeda virtual transcende sua dimensão tecnológica, configurando-se como uma questão de definição do grau de regulação da atividade econômica que se deseja.” Assim, cabe perguntar: Nosso capitalismo é suficientemente maduro para prescindir de regulação?

A especialista está disponível para comentar o assunto. Para acioná-la basta encaminhar a solicitação para o e-mail: imprensa@mackenzie.br.

Sobre o Mackenzie

A Universidade Presbiteriana Mackenzie está entre as 100 melhores instituições de ensino da América Latina, segundo a pesquisa QS Quacquarelli Symonds University Rankings, uma organização internacional de pesquisa educacional, que avalia o desempenho de instituições de ensino médio, superior e pós-graduação.

Assessoria de Imprensa Universidade Presbiteriana Mackenzie


0 comentários:

Postar um comentário