quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Seca no rio são Francisco começa a comprometer o transporte por balsas entre os municípios de Belém do São Francisco/PE e Chorrocho/BA



Devido ao assoreamento e à baixa da vazão do nível do Rio São Francisco, a Marinha do Brasil, com sede em Juazeiro BA, começou a fiscalizar o peso das embarcações que navegam entre a cidade de Belém do São Francisco (PE) e o distrito de Barra do Tarrachil /Chorrochó (BA). A diminuição do peso já é uma rotina diária entre os donos de balsas, que devem redobrar a atenção para não encalhar durante as travessias. No leito do rio já e possível ver vários bancos de areia e aglomerações de pedras. 

O Velho Chico a cada dia que passa vai perdendo correnteza, ficando mais estreito e raso. Algumas embarcações já começaram a sentir dificuldades para fazer a travessia, chegando a encalhar em algumas viagens,ao baterem em bancos de areia, se houver colisão no casco da embarcação, pode chegar a danificar pecas, como caixa de marcha e protetor de hélice, conta um trabalhador de uma das embarcações.
A mais ou menos 500 metros de distância do inicio do "lago de Itaparica", a navegação no trecho do rio é crítica para os balseiros. O canal navegável ficava em uma linha reta e a travessia era feita de 6 a 10 minutos. Agora, as balsas são obrigadas a fazer curva e reduzir bastante a velocidade. O risco delas encalharem é cada vez maior.

O tempo de viagem das balsas que transportam carros, motos e pedestres entre os municípios de Belém do São Francisco (PE) e Chorrochó (BA), quase duplicou e peso passou a ser controlado pela Capitania dos Portos.

A fiscalização na região aconteceu no último dia 23/11/2017, mas, segundo um agente da Marinha do Brasil, outras fiscalizações vão acontecer com frequência na região.

Blog de Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário