terça-feira, 14 de novembro de 2017

Polícia Civil de PE investiga golpe de pirâmide financeira que pode chegar a meio bilhão de reais

A empresa que prometia o retorno financeiro alto e em pouco tempo tinha cerca de 20 mil pessoas cadastradas no aplicativo, só no Estado de Pernambuco

A Polícia Civil de Pernambuco investiga um suposto novo esquema de pirâmide financeira no Estado. Uma empresa, com sede em Uberlândia, Minas Gerais, teria criado uma moeda virtual para atrair investidores, se apresentando como uma rede de associados em 90 países. A polícia suspeita que o dono da empresa fugiu com cerca de meio bilhão de reais dos investidores.

A empresa que prometia o retorno financeiro alto e em pouco tempo tinha cerca de 20 mil pessoas cadastradas no aplicativo, só no Estado de Pernambuco. Para participar do esquema investigado pela PCPE, os usuários que precisavam adicionar mais pessoas ao grupo para adquirir cadastro, em em troca, quem convidou recebia percentuais de  10 a 25% para cada novo integrante que fosse cadastrado. Além de realizar um depósito inicial, comprando moedas virtuais, as chamadas ''criptomoedas ''.

Restituição
No site da Adsply, foi feito um comunicado para os associados prometendo restituir, conforme um cronograma. A empresa  vincula o fechamento ao banimento de contas da companhia na BITTREX, empresa de moeda digital. De acordo com o comunicado as denuncias foram feitas de forma injustificada e arbitrária. No Brasil a devolução do dinheiro investido será feita em março do ano que vem.

Veja a matéria completa da TV Jornal de PE >> Golpe de pirâmide financeira pode chegar meio bilhão de reais

Blog de Assis Ramalho
Por: TV Jornal


0 comentários:

Postar um comentário