terça-feira, 28 de novembro de 2017

Pai e filha feridos em acidente causado por motorista bêbado no Recife estão em estado grave, diz boletim

Casal estava com os dois filhos e a babá no veículo que foi atingido; Maria Emília Guimarães [foto] morreu no local do acidente e o filho morreu no dia seguinte (Foto: Reprodução/TV Globo)

O pai e a filha que ficaram feridos em um acidente de trânsito provocado por um motorista bêbado, no domingo (26), na Zona Norte do Recife, estão em estado grave e respiram com ajuda de aparelhos, informou o boletim médico divulgado pelo Hospital Santa Joana nesta terça-feira (28). A colisão deixou ainda três pessoas mortas. Novas imagens da câmera de segurança de uma loja mostram o momento do acidente de outro ângulo.

Além de deixar Miguel Arruda da Motta Silveira Filho, de 46 anos, e Marcela Guimarães Motta Silveira, de 5 anos, feridos, o acidente teve três mortos: a advogada Maria Emília Guimarães Silveira, 39 anos, mulher de Miguel e mãe de Marcela, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de 3 anos, filho do casal, e a babá Roseane de Brito Souza, 23 anos, que estava grávida. O motorista, João Victor de Oliveira, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na segunda (27).

A menina Marcela Guimarães Motta Silveira está em coma na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica. O quadro dela, segundo a unidade de saúde, é considerado grave e instável. Além de respirar com ajuda de aparelhos, ela está sedada. A princípio, Marcela foi levada para o Hospital da Restauração. Ela foi transferida para o Santa Joana no início da tarde segunda-feira (27).


O boletim médico informa ainda que Miguel Arruda da Motta Silveira Filho precisou passar por cirurgia e está no Centro de Terapia Intensiva (CTI). Apesar de respirar com ajuda de aparelhos, ele "apresenta sinais de estabilidade dos demais sistemas orgânicos".

Entenda o caso

O acidente ocorreu por volta das 19h30, quando o motorista embriagado, identificado como João Victor Ribeiro de Oliveira Cabral, de 25 anos, estudante de engenharia, avançou um semáforo na Rua Cônego Barata em direção ao cruzamento com a Estrada do Arraial. Ao avançar o sinal vermelho, o carro dele, a 100 quilômetros por hora, colidiu contra o carro em que estavam três adultos e duas crianças. De acordo com a Polícia Civil, o motorista fez um teste de alcoolemia, que acusou a ingestão de álcool três vezes acima do permitido.

Morreram devido a colisão a advogada Maria Emília Guimarães da Mota Silveira, de 39 anos, o filho dela, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de três anos, e a babá Roseane Maria de Brito Souza, de 23 anos, que estava grávida. João Victor teve a prisão preventiva decretada pela Justiça na segunda (27). “O histórico dele é alvo de investigação. Vamos angariar essas provas de que ele já era habitual nessa questão da velocidade e na evasão de semáforos vermelhos”, pontuou o delegado.

O universitário passou por audiência de custódia e, após o anúncio da sentença, no Fórum Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, na área central da cidade, o flagrante foi convertido em preventiva e ele seguiu para o Centro de Observação e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife.

Ele responderá pelos crimes de homicídio doloso, quando há intenção de matar, e lesão corporal gravíssima. O advogado do estudante universitário deixou o caso. Ele é assistido por um defensor público.

De março a setembro deste ano, o carro que João Victor foi multado seis vezes por excesso de velocidade e três por furar o semáforo. A informação foi repassada pelo delegado Paulo Jeann, responsável pelo caso, nesta terça-feira (28). Agora, a polícia quer comprovar que as infrações foram cometidas pelo mesmo motorista.

Por G1 PE


0 comentários:

Postar um comentário