quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Homem apontado como suspeito de matar menina Beatriz estava preso no dia do crime

Beatriz foi encontrada morta com 42 facadas em sala desativada da escola

Após a Polícia Civil ter apontado um suspeito de ter matado a menina Beatriz Angélica Mota, de sete anos, o caso voltou à estaca zero nesta quarta-feira. De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), Jailson José João de Sá foi preso em flagrante e recolhido à Cadeia Pública de Santa Maria da Boa Vista no dia 02 dezembro de 2015. Ele permaneceu na unidade carcerária até 10 de maio de 2016. A menina foi encontrada morta com 42 facadas durante uma festa de formatura, no Instituto Maria Auxiliadora, em Petrolina, no dia 10 de dezembro.

Jailson José foi detido por suspeita de matar um servidor da Prefeitura de Lagoa Grande, no último sábado, e foi apontado pela polícia como suspeito de ter assassinado a garota. Nessa terça, a Polícia Civil colheu o depoimento dele, e a Polícia Científica fez a coleta da saliva para confronto com o material genético encontrado no corpo de Beatriz. O homem foi preso preventivamente pela Polícia Militar após a morte do servidor Jean da Silva Santos.


Após a morte da menina, foram identificados dois perfis de DNA do sexo masculino. Um deles foi encontrado na faca usada no crime e o outro nas unhas da mão direita da criança. O resultado da análise sairá em 10 dias.

RELEMBRE O CASO
Beatriz foi assassinada com 42 facadas dentro de um dos mais tradicionais colégios particulares de Petrolina. O crime ocorreu dentro da quadra onde acontecia a solenidade de formatura das turmas do terceiro ano da escola. A irmã dela era uma das formandas. A última imagem que a polícia tem de Beatriz foi registrada às 21h59, quando ela se afastou da mãe e foi até o bebedouro do colégio, localizado na parte inferior da quadra. Minutos depois, o corpo da criança foi encontrado atrás de um armário, dentro de uma sala de material esportivo que estava desativada. Um vídeo com imagens do suspeito foi divulgado em setembro do ano passado. Nas filmagens é possível vê-lo andando nas imediações do colégio e entrando na quadra onde acontecia a festa, 20 minutos antes de Beatriz ser vista pela última vez.

Diário de Pernambuco


0 comentários:

Postar um comentário