quinta-feira, 30 de novembro de 2017

CPRH anuncia nesta sexta os ganhadores do Prêmio Vasconcelos Sobrinho 2017

Trinta e nove trabalhos estão concorrendo à premiação, em categorias distintas. Ensino Fundamental e Imprensa são as mais concorridas.

Com nove e oito trabalhos inscritos, respectivamente, as categorias “Projetos e Práticas Educacionais do Ensino Fundamental (I, II e Médio)” e “Imprensa” foram as que apresentaram maior número de concorrentes na edição 2017 do Prêmio Vasconcelos Sobrinho, promovido pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). As inscrições foram encerradas no último dia 24 e contabilizaram, ao todo, 39 trabalhos em todas as categorias. Os vencedores serão anunciados nesta sexta-feira (1º/12) e receberão o prêmio em cerimônia a ser realizada pelo órgão ambiental.

O Prêmio Vasconcelos Sobrinho foi criado na década de 90 e está em sua 27ª edição. Com ele, o Governo de Pernambuco, por meio da CPRH, homenageia pessoas físicas, empresas e instituições (governamentais e não-governamentais) que realizam projetos com o objetivo de promover a melhoria das condições ambientais ou desenvolvam ações socioambientais. É, assim, uma iniciativa de reconhecimento de práticas positivas na área e que reforça as ações que a Agência já realiza, no contexto de propagar a conscientização ambiental.

Além dos trabalhos que concorrem às categorias que contemplam o Ensino Fundamental e as reportagens (Imprensa), há candidatos com trabalhos inscritos para as categorias Destaque Empresarial, Destaque Municipal, Iniciativa Comunitária, Personalidade do Meio Ambiente, Projetos e Práticas do Ensino Superior e Responsabilidade Ambiental . Os jurados começaram a análise dos trabalhos logo após o fim do prazo de inscrições e, nesta sexta, terão a reunião final para, em votação, definir os vencedores.

LEGADO – Professor, engenheiro agrônomo, pesquisador, ambientalista, o pernambucano de Moreno (Região Metropolitana do Recife) João Vasconcelos Sobrinho (1908-1989) foi um dos pioneiros na área de estudos ambientais no Brasil. São inúmeras as contribuições que deixou, especialmente na área de estudos e pesquisas.

Foi fundador e diretor do Jardim Zoobotânico de Dois Irmãos, professor e um dos fundadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), fundador e supervisor da Estação Ecológica de Tapacurá e diretor do Serviço Florestal do Ministério da Agricultura, depois denominado Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal (IBDF), e integrou a delegação brasileira à Conferência das Nações Unidas sobre Desertificação, realizada em Nairóbi, no Quênia, em 1977.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH
www.cprh.pe.gov.br


0 comentários:

Postar um comentário