domingo, 19 de novembro de 2017

Atividade física e alimentação equilibrada também previnem doenças oculares

O alerta é de especialistas do maior grupo de hospitais oftalmológicos da América Latina, HOBrasil 

A maioria das pessoas liga o sedentarismo e alimentação desregulada apenas a problemas cardíacos e Acidente Vascular Cerebral (AVC), mas os prejuízos da falta de cuidados com o corpo são muito maiores e podem causar, inclusive, doenças oculares graves, gerando até a perda da visão.

O oftalmologista Marcelo Freitas, sócio-fundador do Instituto de Olhos Freitas, Salvador (BA), um dos hospitais do Grupo HOBrasil, lembra que a falta de exercícios aliada a maus hábitos alimentares e ao excesso de peso, são fatores de risco para o desenvolvimento da Hipertensão Arterial Sistêmica (pressão alta) e do Diabetes Mellitus (DM), principalmente o Tipo 2. “Esse conjunto de situações clínicas aumenta de forma considerável o risco de eventos cardiovasculares e circulatórios, como infartos e tromboses, tendo uma relação estreita e direta com a circulação retiniana, promovendo obstruções vasculares, arteriais ou venosas e retinopatia diabética, ambas apresentando possibilidades reais de perda parcial ou total da visão”, explica Freitas.

A retinopatia diabética, doença silenciosa, é a maior causa de cegueira da população economicamente ativa, ou seja, abaixo dos 60 anos, de acordo com o especialista do Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem, Joinville (SC), Evandro Luiz Rosa. “Diabetes causa lesões e danos a pequenos vasos, rupturas hemorragia interna e acúmulo de líquidos. Com essas alterações paciente vai perdendo gradativamente a visão, podendo chegar até à cegueira”, conta o médico.

Para o paciente, duas orientações: manter o controle do diabetes, para que a doença ocular evolua mais lentamente e responda melhor ao tratamento e consultar periodicamente ao oftalmologista. “A retinopatia é tratável e se diagnosticada e tratada precocemente, o paciente pode manter a boa visão por muito tempo”, garante Rosa.

O especialista do Hospital Oftalmológico de Brasília, Sergio Kniggendorf concorda que manter a qualidade de vida ajuda a evitar ou agravar doenças oculares. “Os olhos, assim como qualquer órgão, envelhecem e estão propensos à degeneração macular e doenças, como catarata, mas alterações causadas por hipertensão ou diabetes também podem gerar perda parcial ou total da visão”.

Por isso, Kniggendorf reforça o alerta sobre a importância de manter a qualidade de vida e incluir a consulta ao oftalmologista na rotina em busca da saúde. Segundo o médico, “os olhos são a janela para os outros órgãos” e alguns exames podem, inclusive detectar outras patologias, além das oculares. “Nenhum outro órgão de nosso corpo permite um exame com diagnóstico tão imediato, sem imagem, como é o caso dos olhos. Uma trombose ocular, por exemplo, é sinal de colesterol alto ou hipertensão em um paciente que nem sempre sabe que está com essas alterações”, conclui.

Agência Time Comunicação


0 comentários:

Postar um comentário