quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Bancos de Pernambuco devem adotar atendimento em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para o trato com clientes surdos ou com deficiência auditiva

Agência do Banco do Brasil de Petrolândia (Foto: Assis Ramalho/Blog AR)

As agências bancária pernambucanas devem adotar o atendimento em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para o trato com clientes surdos ou com alguma deficiência auditiva. Além disso, cegos devem ter a entrada liberada na agência com os seus cães-guia, desde que seja apresentada a carteira de vacinação dos animais de acompanhamento atualizada. As duas regras estão na Lei 16.203 publicada, nesta quarta-feira (15), no Diário Oficial do Estado, e que obriga os estabelecimentos bancários a oferecer atendimento prioritário a pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou doença grave.

“Quando é importante ir ao banco, sempre peço a alguém para ir comigo ajudar na comunicação, como minha mão ou meu pai. É um problema não ter interprete”, comentou o professor de Libras, Alessandro Vasconcelos, 22 anos, que tem surdez. A normativa ainda reforça entre as pessoas com prioridade os idosos, gestantes, lactantes, pessoas com criança de colo e obesos; os clientes diagnosticados com doenças graves, devidamente comprovadas por meio de laudo médico, também têm direito a tratamento diferenciado e preferencial. O descumprimento da lei poderá acarretar em advertência e multa que varia de R$ 1 mil até R$ 10 mil.

Portal FolhaPE


0 comentários:

Postar um comentário