domingo, 8 de outubro de 2017

Mulher é morta pelo ex-marido dentro de viatura em MG

Laís Andrade Fonseca, de 30 anos, estava seguindo para a delegacia para dar queixa do ex, por ele ter instalado uma câmera no banheiro para vigiar ela e o filho de 8 anos (Reprodução)

A caminho da delegacia para prestar queixa contra o ex-marido, uma mulher de 30 anos foi morta pelo homem dentro de uma viatura da Polícia Militar (PM) em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, em Minas Gerais, na tarde de sexta (06). Laís Andrade Fonseca havia acionado a corporação para denunciar que o ex-companheiro teria instalado uma câmera na casa dela, para vigiar ela e o filho, de 8 anos.

O equipamento estava no banheiro da casa de Laís, no município de Pavão, na mesma região, e era conectado a um computador em cima da laje, registrando tudo o que a mulher e o filho faziam, em tempo real. Laís descobriu a câmera enquanto tomava banho e acionou a PM, com medo de que o homem divulgasse as imagens.

Os aparelhos foram apreendidos pelos militares, que localizaram e prenderam o ex-marido da mulher, o balconista Valdeir Ribeiro de Jesus, de 34 anos. Ele confirmou ter instalado a câmera por ciúmes de Laís, para checar se ela estava com um novo namorado.
Ao finalizar o boletim de ocorrência por importunação ofensiva ao pudor, a vítima solicitou que o ex-marido fosse liberado, porque não tinha intenção de prejudicá-lo e pretendia reatar o relacionamento. No entanto, a delegacia de plantão orientou os militares a conduzir o homem e a mulher para que o material apreendido pudesse ser periciado, uma vez que poderia conter imagens de um menor.

Conforme os militares, Jesus não apresentava comportamento agressivo, não proferiu ameaças e não possuía histórico de agressão. Por isso, depois de ser submetido a busca pessoal, ele foi colocado no banco traseiro da viatura, sem algemas, junto com a mulher, em direção à delegacia de plantão de Teófilo Otoni, a 96 km de distância.

Segundo a PM, os dois dormiram na maior parte do trajeto, mas, na BR-116, o homem acordou, deu uma facada no pescoço de Laís e, em seguida, esfaqueou duas vezes o próprio corpo e pulou da viatura em movimento, sofrendo várias escoriações. Ele foi capturado pelos militares, socorrido na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade e encaminhado para a delegacia. A mulher morreu na viatura.

De acordo com o delegado de Polícia Civil de Teófilo Otoni, Eduardo Gil, o homem passou por busca pessoal, mas, antes de seguir viagem à delegacia, solicitou que uma parada fosse realizada na casa dele para que ele pudesse pegar documentos pessoais. "Ele realmente pegou esses documentos, mas também armou-se de uma faca, colocou na meia e escondeu com a calça. Como ele não recebeu uma nova busca pessoal ao entrar novamente na viatura, em um dado momento ele sacou a arma e atingiu a vítima", afirmou.

O homem vai responder pelo crime de feminicídio. Ele foi encaminhado para o presídio de Teófilo Otoni.

Policiais foram autuados

Os dois policiais militares que atenderam a ocorrência foram autuados pelo comandante do 19º Batalhão da PM, de Teófilo Otoni, o tenente-coronel Fábio Marinho, por homicídio culposo. Segundo ele, os militares descumpriram uma norma interna da corporação ao não realizarem uma nova busca pessoal em Valdeir Ribeiro de Jesus, antes de o suspeito entrar na viatura.

"Eles foram traídos pela situação, o clima era de absoluta tranquilidade, mas existe um manual de procedimentos policiais que determina a busca pessoal", afirmou.

Segundo ele, a autuação foi comunicada à Justiça Militar, que determinou que os militares respondam em liberdade. Eles farão tratamento psicológico e vão passar a atuar na atividade administrativa da PM.

O Tempo


0 comentários:

Postar um comentário