sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Doença causada pela carência de ácido fólico é tema de exposição fotográfica na Alepe

Foto: Roberto Pereira

Para chamar a atenção das pessoas e estimular o debate em torno de da mielomeningocele (espinha bífida aberta), uma má formação congênita do sistema nervoso causada pela carência de ácido fólico (vitamina B9), a Assembleia Legislativa de Pernambuco, por iniciativa do deputado estadual Waldemar Borges, inaugurou na quarta-feira (25) uma exposição fotográfica organizada pelo Instituto Arthur Vinicius (IAV). A entidade, sem fins lucrativos, apoia familiares e crianças portadoras de mielomeningocele de todo Estado desde 2005.

A exposição foi instalada no Dia Mundial de Luta contra a Espinha Bífida e ficará aberta à visitação até o dia 10 de novembro, no hall do primeiro andar do Edifício Miguel Arraes (prédio do novo plenário). As fotos que compõem a mostra também fazem parte do calendário 2018 do Instituto Arthur Vinicius e foram voluntariamente produzidas pelos fotógrafos Augusto Galdino e Dani Vieira. As 12 crianças fotografadas, na faixa etária dos três aos 14 anos, são atendidas pelo IAV e foram escolhidas a partir de votação na página da entidade no Facebook.

Durante o evento, foi anunciado que o deputado Waldemar Borges vai propor uma lei na Alepe criando o Dia de Conscientização da Mielomeningocele (2 de julho). “Essa porta aberta pela Assembleia Legislativa é uma grande oportunidade para discutirmos a prevenção, única forma de enfrentarmos a mielomeningocele. Precisamos divulgar essa doença e mostrar que nossos filhos existem e precisam muito de ajuda e de assistência”, disse Fabíola Maciel, presidente do instituto que leva o nome do seu filho, também portador da má formação, durante a abertura do evento.

A espinha bífida aberta é um problema de saúde grave, pouco conhecido, apesar da alta incidência, e que atinge anualmente três mil crianças que nascem no Brasil. A mielomeningocele é considerada a segunda causa de deficiência motora infantil no mundo.

Ácido fólico – A prevenção passa pelo acesso à informação; da importância do consumo do ácido fólico e de medidas que incentivem a suplementação pelo menos três meses antes da gestação. Isso porque a má formação (defeito de fechamento ósseo posterior da coluna vertebral) ocorre no primeiro mês de gestação quando muitas mulheres sequer imaginam estarem grávidas. A esse quadro, soma-se o fato de que 52% das brasileiras não planejam a gravidez, segundo a pesquisa Nascer no Brasil realizada pela Fundação Oswaldo Cruz.

A vitamina B9 é encontrada em legumes, sobretudo de folhas verdes escuras, cereais integrais, grãos, vísceras, frutas, ovos, entre outros alimentos. No Brasil, resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatório a fortificação de farinhas de trigo e milho com ácido fólico e ferro, mas a incidência do problema indica que a questão precisa ser amplamente discutida por todos os setores da sociedade.

Assessoria de Comunicação do Deputado Estadual Waldemar Borges


0 comentários:

Postar um comentário