quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Lula chama Moro de ‘parcial’ durante depoimento; confira vídeo


Em um depoimento mais tenso e agressivo do que no primeiro interrogatório, o ex-presidente Lula acusou o juiz Sergio Moro nesta quarta-feira (13) de ser parcial e de ter se tornado “prisioneiro” da imprensa. Na frente do juiz, durante o depoimento do processo referente. Moro também demonstrou mais irritação com Lula do que na primeira vez em que se encontraram, em maio, durante interrogatório do processo do tríplex.

Quase no fim do depoimento, Lula disse a Moro: “Vou terminar fazendo uma pergunta o para o senhor. Vou chegar amanhã em casa e almoçar com meus oito netos e uma bisneta de seis meses. Eu posso olhar na cara dos meus filhos e dizer que fui prestar depoimento a um juiz imparcial?” Contrariado, Moro respondeu: “Primeiro, não cabe ao senhor fazer esse tipo de pergunta a mim. Mas, de todo modo, [a resposta é] sim”.

Lula rebateu: “Porque não foi esse o procedimento na outra ação [do tríplex do Guarujá]”. Moro condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão.

“Não vou discutir aquele processo aqui”, retrucou o juiz, que afirmou que o local adequado para o ex-presidente questionar a decisão sobre o tríplex é o Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4). E então Moro encerrou o depoimento.

Prisioneiro da imprensa

Um pouco antes de questionar a parcialidade do juiz, Lula também disse que considerar que o que a Lava Jato está fazendo com ele é “ilegítimo”. E acusou Moro e os demais integrantes da Lava Jato de terem se tornado prisioneiros da imprensa. “A imprensa aprisionou vocês”, disse o ex-presidente. O argumento de que Moro e a operação haviam se tornado refém da mídia já havia sido usado por Lula no primeiro interrogatório: se a Lava Jato “desagradar” à imprensa, serão “perseguidos” pelas manchetes de jornais – e isso os colocaria contra a parede e com a “obrigação” de provar as “mentiras” que inventaram, acusando e condenando pessoas inocentes.

O ex-presidente então começou a falar, como exemplo de seu argumento, das polêmicas envolvendo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Moro novamente se irritou e interrompeu Lula. “[O que o senhor está falando] não tem nada a a ver com Brasília. Não tem nada com o doutor Janot. Não tem nada a ver com a imprensa. O senhor tem alguma consideração específica sobre isso [o processo do terreno]?”

Lula a Moro: “O senhor precisa ler outros jornais”

A insatisfação de Lula com a imprensa também ficou clara em outros momentos do depoimento. O ex-presidente chegou inclusive a forma como Moro supostamente se informa.

Foi quando o juiz perguntou se havia sido Lula quem nomeou o ex-ministro Antonio Palocci para o governo de Dilma Rousseff. “Se o senhor leu o jornal O Globo... Aliás, o senhor se baseia muito no Globo, doutor Moro. O juiz interrompeu Lula: “O Globo não é o acusador aqui, presidente”. O petista então alfinetou o juiz: “Na minha condenação, o senhor cita o jornal O Globo 15 vezes e não cita... cita só cinco testemunhas minhas que veio (sic) aqui. Então [o senhor] precisa ler outros jornais”.

Moro insistiu na pergunta. “Então objetivamente, presidente: senhor indicou Palocci para ser chefe da Casa Civil [de Dilma]?” Lula voltou a ironizar Moro. “Não, se o senhor leu o jornal O Globo na ocasião, o senhor vai ver que eu era contra o Palocci ir para o governo. Mas a Dilma indicou e quem indica é a presidente”.
A mágoa com Deltan. E mais farpas na imprensa

Lula voltou a mencionar no interrogatório o powerpoint exibido pelos procuradores no ano passado, ao apresentarem a denúncia contra Lula no caso do tríplex. Segundo o petista, a peça virou a “nave mãe” dos processos contra ele.

“Doutor [Moro], eu vou apenas repetir uma coisa aqui, para ficar bem claro, que é o seguinte: quando o procurador [Deltan] Dallagnol [coordenador da força-tarefa na Lava Jato] apresentou, no ano passado, uma peça de ficção num powerpoint, que se transformou a nave mãe dos processos contra mim. E contaram uma inverdade deslavada, e se submeteram à imprensa para poder continuar contando inverdades e a imprensa tentar transformar em verdade. Inventaram também essa história desse prédio [do Instituto Lula]”, disse Lula.

Gazeta do Povo


0 comentários:

Postar um comentário