sábado, 30 de setembro de 2017

Datafolha: Lula cresce e Bolsonaro e Marina permanecem empatados

Após ser condenado por Moro a nove anos e meio, Lula cresceu mais cinco pontos no Datafolha

O Instituto Datafolha divulgou nova rodada de pesquisa sobre a disputa presidencial de 2018, novamente confirmando uma vantagem significativa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre todos os demais concorrentes listados. Embora condenado em primeira instância a nove anos e meio pelo juiz Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, e ainda ser réu em mais cinco outros processos, Lula ostenta uma média de 35% das preferências dos eleitores, nos cenários avaliados. Na segunda colocação, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparecem empatados tecnicamente, mas ambos com índices inferiores à metade dos obtidos pelo petista. Bolsonaro oscila entre 16% e 17%, enquanto Marina recebe 13% a 14% das intenções de voto.
Os dois nomes do PSDB colocados na disputa segundo a pesquisa Datafolha também empatam, mas com desempenho bem mais modesto. O governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o prefeito paulistano João Doria obtiveram 8% das citações no levantamento, o que demonstra que, embora Doria venha viajando intensamente pelo país na tentativa de divulgar sua imagem, ainda está distante do primeiro pelotão de pré-candidatos.

O Datafolha também avaliou cenários de um eventual segundo turno da disputa, e nesta rodada, pela primeira vez, Lula superaria todos os adversários se a eleição fosse hoje. A exceção fica em um hipotético confronto direto exatamente com seu algoz, Sérgio Moro, em que há empate técnico. O juiz, porém, tem dito que não pretende disputar as eleições.

Embora lidere todas as pesquisas realizadas nos últimos meses, Lula corre o risco de não disputar, caso a sentença imposta por Sérgio Moro seja confirmada na segunda instância, pelo Tribunal Regional Federal (TRF-4). Nesse caso, o Datafolha perguntou ao eleitor se ele votaria em um nome indicado pelo petista, mas somente 26% disseram que sim, índice ainda superior aos obtidos pelos demais concorrentes.

O fator curioso da nova amostragem é que após a condenação judicial, recebida em julho, o ex-presidente subiu cinco pontos percentuais em relação à rodada anterior, realizada em junho – antes, portanto, do anúncio da sentença – quando o petista aparecia com média de 30% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro com 16% e Marina com 15%. A nova pesquisa foi realizada nos dias 27 e 28 de setembro, ouvindo 2.772 pessoas em 194 cidades, e tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Com informações do UOL


0 comentários:

Postar um comentário