sábado, 23 de setembro de 2017

Ação policial prende quadrilha de roubo a banco que atuava em AL, PE e outros estados

"Eles eram violentos e compravam bens e veículos com o dinheiro oriundo dos ataques às agências. Nós temos conhecimento de ação deles em ataques registrados em Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Alguns deles eram naturais de Novo Lino (AL), mas moravam em Xexéu (PE), onde nós cumprimos boa parte das prisões”, explicou o delegado Vinícius Ferrari.

Em mais uma ação de combate ao crime organizado em Alagoas, a Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas, com apoio da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, deflagrou a “Operação S”, que prendeu integrantes de uma quadrilha de roubo a banco com atuação em vários estados do país. Os detalhes da prisão de oito pessoas foram repassados à imprensa durante entrevista coletiva, realizada na tarde desta sexta-feira (22), na SSP, no Centro de Maceió.

Realizada nesta quinta-feira (21), a operação contou com a participação de 50 viaturas, dois helicópteros e 200 policiais militares do 6º Batalhão, da 4ª Companhia Independente, Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (Tigre), da Asfixia, do Grupamento Aéreo da Secretaria de Segurança Pública, além de policiais rodoviários federais, agentes do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e da PM e PC de Pernambuco.


Foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, três de condução coercitiva e realizadas oito prisões. Os mandos foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital.

O delegado Vinícius Ferrari, da Seção de Roubo a Bancos (Serb), da Polícia Civil, explicou à imprensa que as investigações duraram cerca de 70 dias e começaram após o ataque registrado contra uma agência bancária no município de Novo Lino, ocorrido no mês de julho. Ficou constatado que muitos integrantes da quadrilha eram da mesma família, daí a origem do nome da operação S, em alusão a inicial do sobrenome dos presos.

“Eles eram violentos e compravam bens e veículos com o dinheiro oriundo dos ataques ás agências. Nós temos conhecimento de ação deles em ataques registrados em Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Alguns deles eram naturais de Novo Lino, mas moravam em Xexéu (PE), onde nós cumprimos boa parte das prisões”, explicou.

José Ednaldo Soares, o “Edinho”, é apontado como o líder da quadrilha. Ele foi preso e era casado com Eriberta Maria da Silva, que assumiu o comando da quadrilha quando ele foi preso. Ontem ela foi um dos alvos da operação e foi detida. Foram presos ontem também Rodolfo Soares de Araújo, Beroaldo Ferreira Lins, Antônio Ferreira da Silva Neto, conhecido como “Alemão”, Aelson Batista Soares, Alberto Batista Soares e Manoel Luiz da Silva, o “Touro”.

Foram conduzidos coercitivamente Rivaldo Soares, Thamara Camila e Alfredo Soares de Araújo, que também foi alvo de cumprimento de um mandado de busca e apreensão.

O coordenador da Deic, delegado Mário Jorge, falou que as investigações apontaram que o grupo participou em Alagoas dos roubos à agências localizadas em Novo Lino, Colônia Leopoldina, Passo de Camaragibe, Japaratinga e São Miguel dos Milagres.

Com eles foram apreendidos mais de 10 veículos, entre motocicletas, caminhões, carros de passeio e de trilha, todos comprados com dinheiro fruto das ações criminosas, além de 70 quilos de explosivos, dinheiro, três armas, munições e outros materiais.

O secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, parabenizou as equipes pela operação e destacou a importância de se realizarem ações integradas, que conseguem fazer com que o estado registre um dos menores índices de roubo a banco do país.

“O crime de assalto a banco é difícil de combater, pois os grupos atuam em vários estados. Mas estamos conseguindo dar a reposta realizando um trabalho integrado que também dialoga com as polícias e as agências de Inteligência de outros estados. A prova é esta operação, que teve grande contribuição das polícias de Pernambuco”, afirmou.

O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, destacou o trabalho das equipes da PC na investigação e execução dos mandados e também do trabalho com outros estados, que conseguem resultar em bons resultados.

“A Secretaria de Segurança Pública vem combatendo vários crimes e essa integração é importante. As equipes da Deic e da Asfixia realizaram trabalho de cooperação com outras agências de Inteligência do país, o que ajudou na identificação dos autores dos crimes. Isso reflete nos índices de Alagoas, que são os menores do país com relação a roubo a banco”, completou.

Já o comandante da Polícia Militar, coronel Marcos Sampaio, parabenizou o trabalho das equipes envolvidas e reforçou a importância da realização de ações integradas. “O roubo a banco é um crime que exige o envolvimento de muitas equipes para conseguir prender os envolvidos. Quando as polícias dialogam, o resultado é esse, de prisões e desarticulação de quadrilhas”, finalizou.

Tribuna Hoje-AL


0 comentários:

Postar um comentário