sábado, 26 de agosto de 2017

[Vídeo] "Todo mundo diz que estão tramando alguma coisa para impedir minha candidatura" diz Lula no Recife


Convocado para ser o maior ato da passagem da Caravana Lula pelo Brasil por Pernambuco, o comício no Pátio do Carmo, no Centro do Recife, nesta sexta-feira (25), foi encerrado com um discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no qual ele ressaltou os avanços do Nordeste durante a sua gestão e a da ex-presidente Dilma Rousseff e a conquista de direitos por parte dos trabalhadores durante os governos do PT. O líder petista também denunciou que estão tentando impedir sua candidatura à Presidência da República, em 2018.

"Eu não estou reivindicando nada. Todo mundo diz que estão tramando alguma coisa para impedir minha candidatura. Mas é o povo vai decidir", discursou o ex-presidente a um público estimado pela organização em 30 mil pessoas. A Polícia Militar, no entanto, não divulga estimativas.

Durante seu discurso, o ex-presidente Lula afirmou que "o nordestino não quer a cara da fome, quer a cara do trabalho do emprego". "Todo mundo tem direito neste País, mas a atenção especial a gente precisa dar aos que mais necessitam", destacou o petista.

O cacique petista citou que, diferentemente da República Dominicana, o Brasil só passou a ter universidade em 1922. Isso, segundo ele, porque a elite brasileira "sabia que podia mandar seus filhos para estudar em Londres, Paris ou Coimbra. Por isso não ligavam para universidade aqui".
Lula também falou sobre as acusações que vem sendo alvo. No mês passado ele, ele foi condenado pelo juiz Sérgio Moro, a nove anos e seis meses no processo que se refere ao triplex do Guarujá.

Leia também:

"Não desanimem nunca. Se esses cidadãos que estão me acusando provarem um centavo errado na minha conta, eu venho pedir desculpas".

Na reta final do discurso, o ex-presidente Lula afirmou que, agora, eles (não citou nomes) têm outro motivo para se preocuparem.

"Eles não têm que se preocupar comigo, têm de se preocupar com os milhões de Lulas que já existem por aí", afirmou. O ex-presidente relembrou, em seguida, quando era jovem. "Eu tinha 13 anos e nunca roubei uma maçã, com medo de envergonhar minha família. Agora, eu não iria envergonhar milhões de vocês".

Folha de Pernambuco


0 comentários:

Postar um comentário