segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Unidade de saúde montada por ONG em barco faz mais de 1700 atendimentos em comunidades ribeirinhas

Ação de custo alto precisa de incentivo: Projeto Amazon Vida da organização não governamental Visão Mundial leva equipe com profissionais de saúde e voluntários para a melhoria de qualidade de vida das populações vulneráveis em comunidades de difícil acesso (Fotos: Divulgação)

Somente no primeiro semestre de 2017, mais de 1.300 pessoas que moram nas comunidades urbanas localizadas na periferia de Manaus e comunidades ribeirinhas, que vivem em situação de vulnerabilidade social foram atendidas pelo barco Amazon Vida, da ONG Visão Mundial – foram aproximadamente 1.400 atendimentos médicos e 350 odontológicos. Desde 2009, cerca de 6 mil pessoas por ano são atendidas em aproximadamente 80 comunidades ribeirinhas do estado do Amazonas. Porém, cada viagem do barco é muito custosa – uma viagem de 5 dias custa em média R$30 mil, sem contar gastos com remédios e insumos levados para a comunidade. Só o seguro do barco são R$25 mil anuais. Com o objetivo de continuar dando êxito ao projeto, a Visão Mundial criou um site com vídeos e informações do Amazon Vida para que as pessoas possam conhecer a ação do barco de acordo com os padrões de gestão e transparência, e se sensibilizem. A contribuição pode ser feita no site: http://doe.vc/amazonvida. A próxima viagem do barco será agora no final de agosto, com próximas saídas previstas de setembro a dezembro. A ação é feita em parceria com o Instituto Presbiteriano Mackenzie e a Igreja Presbiteriana de Manaus.

“A região que atuamos é uma das mais carentes do Brasil, principalmente por conta da dificuldade de acesso. São populações que moram ao longo da calha dos rios amazônicos e que são pouco assistidas por conta desse obstáculo”, comenta o diretor de ministério da Visão Mundial, Cassiano Luz.

O objetivo da Visão Mundial é promover oportunidades para a transformação das vidas das famílias na região amazônica com a ajuda de voluntários, a fim de contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações vulneráveis que vivem em Manaus. O Barco Solidário, como também é conhecido, conta com médico, dentista, enfermeiro, técnico de enfermagem, além de uma farmácia completa. A equipe, formada por mais de 10 profissionais e 20 voluntários, presta, além dos atendimentos de saúde, palestras e reuniões educativas, que falam sobre prevenção de doenças, alimentação e cuidados com a higiene. São ações educativas interdisciplinares que promovem a cidadania e melhoria na educação, resgate a autoestima, inclusão social, saúde e sustentabilidade.

Maria Lucinete, coordenadora do projeto, conta que todas as comunidades recebem com muita felicidade a equipe da Visão Mundial e voluntários do barco: “A comunidade é tão necessitada desse trabalho de voluntariado que fazemos, que muitas pessoas madrugam para já ficar na fila de atendimento. Quando o barco chega às 6h da manhã na comunidade, a maioria das famílias já estão lá de pé desde a madrugada”, afirma.

Muitas dessas pessoas nunca foram até uma unidade de atendimento, seja por dificuldade de deslocamento para ir até o município, por ser muito idoso, ou até mesmo por problemas financeiros, pois não tem dinheiro para pagar a passagem para chegar até a cidade. Maria Francisca, de 52 anos, faz parte de uma das comunidades atendidas e vivencia essa realidade: “Para sair da minha comunidade (Cristo Ressuscitado) até Manacapuru, onde tem atendimentos médicos, são duas horas de viagem e, muitas vezes, eu não tenho dinheiro para me deslocar até lá e também para comprar os remédios que são recomentados. Quando eu ia, voltava para casa só com a receita, porque não tinha dinheiro para comprar os medicamentos. Quando a Visão Mundial chegou, tudo mudou; trouxeram médicos que me ajudaram muito. Fazia 2 anos que tinha dor nos pés e no ouvido, e quando fui atendida me deram um remédio e a dor passou totalmente”, conta.

A dona de casa continua e conclui: “Antes eu nem conseguia trabalhar com tanta dor, eu chorava e não conseguia nem pisar no chão. Também fiz um tratamento no colo do útero durante seis meses e fui curada. Já faz 8 anos que sou atendida pelo barco e sou muito agradecida pelo bom atendimento”.

Em junho deste ano foi implantado pela ONG o projeto Horta Escolar na escola municipal Ezequiel Luiz, na comunidade Bela Vista, localizada no município de Manacapuru, na margem do Rio Solimões, e que conta com uma população de 450 famílias. Voluntários do projeto, juntamente com as crianças e seus familiares, criaram uma horta orgânica para incentivar a alimentação saudável. “A horta para trazer qualidade de vida para alimentação escolar, além de aproximar a família da escola porque é momento em que os alunos estão socializando e aprendendo juntos” conta a coordenadora do projeto Amazon Vida. A ideia dela é que, daqui há 6 meses, os cultivos da horta possam ser vendidos na região a fim de que possa ser gerada uma renda para a própria manutenção da escola.

Um próximo passo será a ajuda dos voluntários na construção de uma Horta Suspensa para a população ribeirinha enfrentar o período de enchentes. Voluntários da ONG irão ajudar com técnicas para potencializar o cultivo em suspenso que fazem com que a população tenha alimento sem ser fruto da pesca durante o período em que a comunidade está toda tomada pela água. Algumas comunidades ficam completamente encobertas, com poucas áreas que podem ser cultivadas, portanto, para a população poder ter acesso a uma agricultura de subsistência, são necessárias construções de mini cultivo que fiquem, por exemplo, penduradas nas janelas das casas, aproveitando a luz do sol e a temperatura mais úmida.

A gerente de projetos da Visão Mundial, Renata Cavalcanti, reforça a importância do projeto: “O Amazon Vida representa manter viva a esperança de um futuro melhor. Chegar às comunidades é sempre um grande desafio e uma grande realização. Levamos metodologias de promoção da vida das pessoas e saímos de lá transformados”, conclui.

Sobre a Visão Mundial

Maior ONG humanitária do mundo, a Visão Mundial Brasil integra a parceria World Vision International, que está presente em cerca de 100 países. No País, a Visão Mundial atua desde 1975 em 10 estados, beneficiando 2,7 milhões de pessoas com projetos nas áreas de educação, saúde/proteção da infância, desenvolvimento econômico e promoção da cidadania. Seus projetos e programas têm como prioridade as crianças e adolescentes que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade. Mais de 80 mil crianças são atendidas anualmente pela organização. Nesses 40 anos de atuação no Brasil, a Visão Mundial se consolida como uma organização comprometida com a superação da pobreza e da exclusão social - visaomundial.org.br

JB Press House


0 comentários:

Postar um comentário