sábado, 26 de agosto de 2017

Petrolândia: Igreja Adventista realiza passeata da campanha "Quebrando o Silêncio" sobre o abuso sexual


Fotos: Assis Ramalho/Blog AR
Pastor Alberto
Suzana - diretora do Coralzinho Pedras Preciosas
Coralzinho Pedras Preciosas

Neste sábado (26), foi realizado na cidade de Petrolândia o Projeto Quebrando o Silêncio,  promovido anualmente pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. Em 2017, o tema do projeto está centrado na luta contra o estupro de mulheres, crianças e adolescentes. A manifestação iniciou em frente ao Atacadão Sanfrancisco, percorreu as Avenidas Auspício Valgueiro de Barros, Praça dos Três Poderes, Manoel Borba e encerrou em frente a prefeitura.

A campanha “Quebrando o Silêncio” acontece anualmente desde 2002 em oito países da América do Sul: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai. Através de materiais didáticos, fóruns, palestras e debates, o manifesto busca discutir temas relacionados aos abusos sexuais com intuito de prevenir e coibir e para que as pessoas que saibam de casos de estupro, denunciem às autoridades.

De acordo com os organizadores, estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que 30% das mulheres em todo o mundo sofreram algum tipo de violência sexual. Enquanto um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica apontou que 70% das vítimas de crime sexual no Brasil são crianças e adolescentes.

Deste quadro de agressores, os dados apontam que 24% deles são os próprios pais ou padrastos das vítimas e em 32% dos casos são amigos ou conhecidos.

Fazendo uso da palavra, o pastor Alberto, da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Petrolândia, fez aclamação pela colaboração da população para que quebrem o silêncio e denunciem os crimes de abuso sexual.

“Saímos às ruas de Petrolândia para dizer a sociedade que nós não podemos compactuar com esta prática e as pessoas devem denunciar os casos em que saibam. É só através da denúncia que podemos libertar as pessoas deste mal terrível que é a violência sexual”.

Ainda de acordo com o pastor, o silêncio das pessoas nos casos de violência sexual contribui com a impunidade, pois enquanto as pessoas se calam, os agressores continuarão impunes.

“Realmente o objetivo do projeto é quebrar o silêncio das pessoas, porque esse crime tem que haver um fim, então nós transmitindo aqui que não devemos ser coniventes em hipótese alguma com os abusos sexuais”, relatou.

O evento foi encerrado com cânticos do Coralzinho Pedras Preciosas, sob o comando da diretora Suzana.

A caminhada teve o acompanhamento da Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e de uma ambulância - cedida pela prefeitura.

Ver todas as fotos > > Campanha "Quebrando o Silêncio"/2017 da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Redação do Blog de Assis Ramalho
Fotos; Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário