quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Novidades agitam o sertão na cultura, literatura e entretenimento durante a FLIST e a Feira do Livro do Vale do Pajeú próxima semana



Contagem regressiva para Feira do Livro do Vale do Pajeú, que acontece na Estação do Forró e Vila Ferroviária, de 08 a 11 de agosto, conjuntamente com a já tradicional FLIST – Festa Literária de Serra Talhada, que se unem em prol do fortalecimento do conhecimento pela inclusão literária, trazendo uma ampla e diversificada programação. Além de shows de malabarismo, palhaços, trapezistas, brincadeiras lúdicas e contação de histórias integram a agenda dos eventos que envolverão lançamentos literários, oficinas, palestras e leituras dramáticas com diversos nomes de respaldo na região, no estado e no país que se movimentam em torno ainda de homenagem aos 70 anos do premiado escritor pernambucano Raimundo Carrero. “Ouvir Carrero falar sobre literatura brasileira em geral, detendo-se no seu romance, é um mergulho na nossa contemporaneidade”, comenta o escritor e dramaturgo Ronaldo Correia de Brito, intitulado Comendador da Ordem do Mérito Cultural em 2013.

Grande entusiasta das comemorações em todo do homenageado, Correia de Brito integra na próxima terça (dia 08), mesa com o tema “A literatura não tem bons sentimentos” que envolverá conversa com Carrero sobre a construção do seu universo literário. “Nós conversaremos sobre literatura. Carrero dirá como chegou a ela e porque permanece escrevendo e sobrevivendo através da escrita, mesmo depois de dois AVCs, que quase o matam. Carrero, que se considera um escritor dono de uma técnica, falará do processo de construção dos seus romances e personagens. Também falará sobre a experiência com o jornalismo e qual a contribuição deste para a criação dos seus romances. Eu serei mediador na conversa. A palavra será de Carrero, o homenageado”, completa. Mas, a programação da Feira do Livro do Vale do Pajeú envolverá também outras importantes ações de impacto que instigarão o público da região em torno das artes, das letras e da cultura com apresentações de grupos como “As Severinas”, o trio de pé de serra de artistas do Sertão do Pajeú de Pernambuco.

Formado por Isabelly Moreira (triângulo, vocal e declamações), Monique D'Angelo (sanfona, vocal e declamações) e Marília Correia (zabumba), o trabalho é marcado por um com que busca repassar a cultura do Sertão de Pernambuco com inovação trazendo uma roupagem própria a sucessos de outros artistas que foram adaptados para o ritmo tradicional. E o grupo ainda se orgulha da mistura das músicas com declamações de poetas populares (como Chico Pedrosa, Greg Marinho, Bio de Crisanto e Lourival Batista) e textos mais livres como de Fernando Pessoa. A poetisa e cantora Leda Dias ainda complementa essa agenda com o show “Simplesmente” com participação especial de encerramento do músico Truvinca, mestre da sanfona de 8 baixos. A programação ainda contará com a apresentação do “Humor na Feira” com Zelito Nunes e Eugênio Gerônimo. “A região tem uma forte tradição nas letras e na cultura dos cantadores, com grandes cantadores como João Patriota, Sebastião Lira, José Catota e outros nomes de muita referência na nossa literatura e na nossa poesia de viola. Serra Talhada e a nossa região do alto do Pajeú tem toda essa tradição e enxerga muito o mundo pelas letras. Quem não escreve, por exemplo, lê. Lê versos, recitais, declama cordéis e outras formas escritas que mantém a continuidade desse costume antigo pautado pela literatura. Por isso, criamos a FLIST para contemplar essa fatia grande de produtores das letras que agora se soma com a Feira do Livro do Vale do Pajeú numa parceria que vem para dar robustez ao que já temos desenvolvido. E isso só nos estimula e mostra que não estamos sozinhos nessa defesa da cultura do Pajeú. Existem outras pessoas igualmente interessadas nesta pauta”, destaca Anildomá Williams, presidente da Fundação Cultural de Serra Talhada.

No quesito formação, a Feira do Livro do Vale do Pajeú oferece ao público workshop (“Criatividade e Escrita” com o escritor Sidney Niceas) e uma oficina de editoração analógica, desenvolvida pelos facilitadores Sabrina Carvalho e Camilo Maia da Editora Livrinho de Papel Fínissimo, que irão mostrar a produção literária feita a partir da construção de uma matriz com colagens dos conteúdos. “Esse tipo de construção de publicação leva o público participante ao processo mais básico de editoração de uma publicação, pondo-o em contato com todas as etapas da diagramação, entendendo as sessões dos livros assim como as disposições de hierarquias de informações e organização editorial. é o passo básico para o fanzine, que é uma maneira caseira de se pensar, produzir e reproduzir um livro de maneira simples e caseira. Hoje em dia já temos muitas feiras e eventos no circuito das publicações independentes que discutem e comercializam os fanzines, como deles surgem livros e publicações como etapa natural de desenvolvimento dessas técnicas”, destaca Sabrina Carvalho, diretora da Livinhos, cuja expectativa é de contribuir para a formação de 15 novos escritores aptos ao processo independente.

SERVIÇO
Feira do Livro do Vale do Pajeú - Evento
Quando: 08 a 11 de agosto de 2017
Onde: Estação do Forró e Vila Ferroviária de Serra Talhada (por trás do Museu do Cangaço)
Horário: 9h às 11h e das 15h às 21h

Realize Comunicação Integrada


0 comentários:

Postar um comentário