sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Ex-governador do MT entrega imagens de políticos recebendo dinheiro, veja vídeo

 

Ex-governador (PMDB) corrobora colaboração premiada com imagens de entrega de dinheiro vivo a políticos, entre deputados e o atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), divulgadas pela TV Globo. O ex-governador de Mato Grosso Silval Barbosa (PMDB) entregou à Procuradoria-Geral da República, como forma de corroboração à sua delação premiada, vídeos que mostram políticos do estado recebendo dinheiro vivo. As informações da repórter Camila Bomfim, da TV Globo, foram veiculadas no Jornal Nacional nesta quinta-feira, 24.

O ex-governador alega que as gravações foram feitas pelo então chefe de gabinete Silvio Cesar. De acordo com Silval, ele era o funcionário responsável por entregar os valores. O dinheiro, segundo o ex-governador, era de esquemas de propina no estado.

A delação premiada de Silval Barbosa foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no último dia 9.

Entre os políticos flagrados nas imagens estão o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), que chegou a colocar tantas notas em seus bolsos que parte delas caiu no chão. O vídeo mostra Emanuel agachando-se para juntar as cédulas espalhadas.


O deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) aparece nas imagens às quais a Rede Globo teve acesso recebendo o dinheiro em uma caixa de papelão.

O então deputado estadual Hermínio Barreto (PR) é flagrado com os maços em uma mala.

A atual prefeita de Juara (MT), Luciane Bezerra (PSB) também pode ser identificada no vídeo levando o dinheiro na bolsa.

O ex-deputado estadual Alexandre César (PT) aparece levando notas em uma mochila.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, afirmou ao Jornal Nacional que não fez nada ilícito e que vai comprovar isso na Justiça.

O parlamentar afirmou à Rede Globo que a esposa dele, Luciane Bezerra, prefeita de Juara, recebeu dinheiro para quitar dívidas de campanha eleitoral.

O advogado de Silvio Cesar afirmou ao JN que não pode comentar porque a delação está sob sigilo.

Estado de São Paulo


0 comentários:

Postar um comentário