terça-feira, 29 de agosto de 2017

Cetas já acolheu mais de 6 mil animais silvestres este ano, ultrapassando números de 2016

Uma jiboia de 2,51 metros encontrada em Camaragibe e uma iguana resgatada em Timbaúba foram levados ao Centro de Triagem da CPRH no fim de semana (Foto: Divulgação/CPRH)

Em sete meses, de janeiro a julho deste ano, o Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), recebeu 6.073 animais de espécies diversas, a grande maioria aves, muitas delas vítimas do tráfico. No mesmo período, reabilitou e devolveu 4.308 ao habitat natural dos mesmos, em áreas de soltura monitoradas no Estado. O balanço mostra considerável crescimento na movimentação do Centro, uma vez que ao longo de dez meses de 2016 – o Cetas funciona desde março do ano passado – foram recebidos 5.467 e devolvidos 3.654, números já ultrapassados.

E a movimentação segue intensa. Entre os novos registros de entrada, há uma jiboia de 2,51 metros encontrada no fim de semana em Camaragibe, Região Metropolitana, e uma iguana adulta resgatada em Timbaúba, Mata Norte. A jiboia foi capturada por agentes da Brigada Ambiental de Camaragibe, mobilizados por moradores que informaram que algumas pessoas queriam matá-la. De acordo com o registro, a enorme cobra foi encontrada com um ferimento na lateral do corpo, em área de resquício da Mata Atlântica.

A iguana, por sua vez, apareceu debilitada no quintal da casa de um morador de Timbaúba, que chegou a oferecer água e frutas para o réptil, mas o mesmo não quis se alimentar. O morador, então, entrou em contato com a Unidade Integrada de Gestão Ambiental (Uiga) de Carpina, da CPRH, que fez o resgate e levou a iguana para o Cetas, que funciona no bairro da Guabiraba, no Recife. Após um período de reabilitação, será reintroduzida à natureza, assim como a jiboia.

BALANÇO – Voltando aos números de 2017, dos 6.073 animais silvestres acolhidos pelo Cetas, entre janeiro e julho, 5.237 foram aves, 458 répteis, 336 mamíferos, 37 considerados exóticos (animais que não fazem parte da fauna brasileira) e 5 aracnídeos. Já dos 4.308 devolvidos à natureza, no mesmo período, 3.811 foram aves (praticamente mantendo a proporção), 326 répteis, 167 mamíferos e 4 aracnídeos. O Cetas também já repatriou animais para outros Estados, a exemplo das araras e tucanos encaminhados ao Centro de Triagem do Amapá, do Ibama, em julho.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH
www.cprh.pe.gov.br


0 comentários:

Postar um comentário