sábado, 5 de agosto de 2017

Bandidos invadem casa do arcebispo no bairro do Farol, em Maceió

Polícia faz levantamento na casa do arcebispo que foi alvo de assalto (Foto: Waldson Costa / G1)

Bandidos invadiram a casa do arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz, no bairro do Farol nas primeiras horas da manhã deste sábado (5).

Eles estavam armados e levaram pertences do líder da igreja Católica. Ninguém ficou ferido, e os suspeitos conseguiram fugir sem deixar pistas.

Apesar do ato de violência, Dom Antônio Muniz informou que não sofreu agressões físicas e garante “estar tranquilo”.


“Fiquei sob mira de uma arma, mas os assaltantes não agrediram fisicamente ninguém. Levaram pertences pessoais e o pouco de dinheiro que estava na carteira”, afirmou o arcebispo. “Estou bem e tranquilo. É normal que quem passe por isso fique surpreso, mas graças a Deus não aconteceu nada grave”.

O assalto aconteceu por volta das 5h40. Na ocasião, Dom Antônio aguardava a chegada de um diácono que o levaria para celebrar uma missa na Igreja de São Gonçalo, que fica no Farol.


O diácono que faria o transporte do religioso falava com o vigia da residência quando os dois foram abordados e rendidos por três homens armados, que chegaram em um veículo.

Os criminosos obrigaram o diácono e o vigia a os levarem para dentro da residência, onde também renderam Dom Antônio Muniz. Um deles apontou uma arma para a cabeça do arcebispo, enquanto outro obrigou o vigia a ficar deitado no chão. O terceiro revirou a casa, procurando itens de valor e dinheiro.

O diácono, aproveitando um momento de distração dos criminosos, conseguiu se esconder no banheiro e chamar a polícia. Quando perceberam que uma das vítimas havia sumido, os criminosos fugiram, levando perfumes e uma cruz utilizada por Dom Antônio. Eles também chegaram a levar o celular dele, mas quebraram o aparelho e jogaram na rua.

Segurança Pública

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) informa que o caso da invasão à residência do arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz, já está sendo investigado.

O secretário Lima Júnior informou que o serviço de Inteligência das Polícias Civil e Militar já estão atuando para colher informações e assim conseguir identificar e prender os responsáveis pela ação.

Ele disse ainda que a Segurança Pública não irá descansar enquanto não prender os autores do crime.

O comandante da Polícia Militar, coronel Marcos Sampaio, visitará ainda hoje o arcebispo para, em nome do governador Renan Filho e do secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, prestar solidariedade.

G1 AL


0 comentários:

Postar um comentário