domingo, 30 de julho de 2017

Prazer reinventado com ajuda das sex shops se destaca em Pernambuco

Em Pernambuco, basta visitar algumas sex shops para ver que a indústria de produtos feitos para o prazer não para de criar e reinventar.

Vibradores de borracha em formato de pênis, géis de sabores variados com efeito esquenta-esfria, calcinhas e canetas comestíveis, dados eróticos, baralho de Kama Sutra, anéis penianos, bolinhas mágicas, algemas de pelúcia, fantasias de enfermeira, tiazinha...esqueça. Foi-se o tempo em que as prateleiras das sex shops se limitavam a esses produtos. O leque está bem maior e inovador - inclusive, tecnologicamente falando -, com um mix de produtos que chega a 15 mil itens. Pelo menos para o mercado erótico, a crise econômica parece não existir. Muito pelo contrário. Ele continua aquecido, sinalizando um crescimento nas vendas de 3% ao ano. Hoje, são 11 mil sex shops espalhadas por todo o Brasil. Juntas, movimentam cerca de R$ 1 bilhão por ano. Os dados são da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme).

Em Pernambuco, basta visitar algumas sex shops para ver que a indústria de produtos feitos para o prazer não para de criar e reinventar. Os vibradores, que ainda são disparados os queridinhos da maioria, ganharam nova roupagem, baseada num design diferenciado. Entre os lançamentos que têm feito sucesso com o público, principalmente entre as mulheres, está os da linha “jack rabbit” - que traz diversas funções numa só prótese. Entre os modelos, há os que sobem e descem, com intensidade que pode ser controlada por meio de um botão. Durante esse movimento de vai e vem, as pérolas que revestem o produto rotacionam, num giro de 360 graus, aumentando a sensibilidade de quem a utiliza. Os mais completos vêm com estimulador externo que massageia o clitóris, ao mesmo tempo em que vibra.


No bairro de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, a Lola Sex Store foi uma das lojas que apostaram no novo modelo. “Para quem quer orgasmos múltiplos, os jacks são super indicados. Alguns chegam até a gemer para dar um toque de realidade à brincadeirinha sexual”, conta a proprietária, Camilla Vargas. A linha cosmética também se reinventou. Se antes os géis e os líquidos apenas esfriavam e esquentavam, eles agora vibram, dão a sensação de formigamento e são efervescentes. Tem gel, inclusive, que ‘blinda’ o pênis. “Se o casal for transar na banheira, não sentirá atrito algum porque esse gel vai lubrificar. Ele não sai na água”, explica Camilla. Até as calcinhas entraram na jogada. Hoje elas não são só comestíveis como também vibram ao terem contato com a língua. Até os aromas fogem dos mais clichês, como o morango, menta e chocolate. Maçã verde, algodão doce, pimenta, uva e chocolate com pimenta estão entre as apostas do mercado.


Para a presidente da Abeme e pós-graduada em sexologia, Paula Aguiar, uma ida a uma sex shop ajuda a exercitar a curiosidade a respeito de assuntos ligados à sexualidade, ao mesmo tempo que aproxima a pessoa de uma atmosfera mais sensual. “Vai fazer ainda você entrar em contato com suas fantasias, desejos e aspectos sexuais mais íntimos que são, às vezes, até desconhecidos. Infelizmente, é algo novo na vida de muitas pessoas por conta dos tabus, mas não há o que temer”, aconselha.

Aos 52 anos, a administradora Shirley Trajano conheceu, pela primeira vez, o mundo erótico. “Antes eu tinha muito medo de entrar. Mais por timidez, porque eu pensava ser um lugar promíscuo. Estou levando um vibrador líquido para experimentar. Pelo menos a vendedora disse que funciona".

Amor e dor
O sexo é uma prática libertadora e todos os tipos de fetiche e fantasias são válidos na busca do prazer. Isso, claro, desde que o casal esteja de acordo e não se envolva em nada ilegal. A maioria das pessoas possui os mais variados desejos sexuais, sejam eles com outras pessoas, objetos ou situações. Nesse sentido, casais que buscam inovar e apimentar a relação têm procurado acessórios de sadomasoquismo. Inspiradas no filme “50 Tons de Cinza”, as lojas têm apostado em produtos semelhantes aos do longa metragem. Algumas dispõem de setores específicos no interior da loja só para atender esse público.

No Recife, a loja Anjo Sado é uma delas. O espaço dispõe de uma variedade de itens voltada só para esse fetiche sexual, linha principal da loja. “Nossos produtos vão desde a linha mais leve à hard, mais pesada, destinada aos fãs de carteirinha da prática”, compara a vendedora Bethânia Barros. Na Capital pernambucana, a Anjo Sado tem duas unidades, uma em Boa Viagem, e outra no bairro do Pina, ambas na Zona Sul do Recife.

Para quem está começando, pode ser confuso saber qual o acessório ideal para usar com o parceiro. “As amarras sensuais, por exemplo, entram como uma ótima opção. Ao invés de usar cordas ou algemas de metal que podem machucar a parceira ou o parceiro, as amarras são mais confortáveis, além de darem um toque especial ao momento”, sugere a vendedora. A venda de máscaras também faz sucesso entre os marinheiros de primeira viagem. “Ao usar uma venda durante o sexo é possível aumentar a tensão sexual e ampliar ainda mais a excitação, já que quando um sentido é perdido, os outros se intensificam, deixando o momento ainda mais divertido. Já as máscaras dão todo um ar de mistério e dominação na hora do sexo, o que provoca sensações únicas ao casal”, diz Bethânia.

Os acessórios mais radicais, contextualiza Bethânia, enchem os olhos de quem é praticante do BDSM (Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo). Para esses, os produtos que causam mais dor do que prazer são os mais requisitados. “Essa mais pesada tem a focinheira, chicotes com cabos de aço para fazer a pele sangrar mesmo, pinças para dar choques nos mamilos e cintos de castidade.

A polêmica gospel
Ao contrário do que muita gente pensa, evangélicos também sabem curtir a vida a dois quando o assunto é sexo. Só esse público reponde por 30% dos consumidores, conforme a Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual (Abeme). Embora no Recife ainda não haja espaço físico voltado exclusivamente para produtos gospel - limitando-se apenas à inclusão de poucos produtos nas lojas -, na cidade de Jandira, em São Paulo, a loja Secret Toys é uma das poucas do Brasil voltada especificamente aos fiéis. Responsáveis pela Secret Toys, o casal evangélico João e Lívia Ribeiro, juntos há nove anos, aposta no sex shop gospel a fim de “abrir a mente” desse público.

“Sexualidade não é pecado. Pecado é a promiscuidade.”, descreve João Ribeiro. Fantasias mais discretas, algemas e massageadores são alguns dos apetrechos usados pelos fiéis.

Instituições evangélicas têm opiniões divididas. O presidente da Associação dos Pastores e Ministros Evangélicos do Brasil, pastor Magnus Carlo de Oliveira, não vê problemas desde que haja respeito aos princípios da religião. “Sexo dentro do casamento é benção. Se sua esposa usa uma lingerie sexy para a diversão do casal, mas sem perder a santidade, é saudável”, acredita. Já para o presidente do Conselho Mundial de Pastores, pastor Omar Silva da Costa, o sex shop gospel é uma linha muito próxima da vulgaridade.

Confira alguns itens disponíveis em sex shops [veja imagens na galeria ao final]

Sexy Machine
Indicado para homens e mulheres, esse brinquedo sexual automático vem com dois acessórios, sendo um pênis e uma vagina, ambos em cyberskin (textura de pele humana). Ligada, a máquina faz movimentos de vai-e-vem, variáveis por controle remoto. Chega a 200 movimentos por minuto.

Pompoarismo
Conhecidas como bolas tailandesas, estão em alta nos sex shops. Ao inseri-las, a mulher contrai e relaxa os músculos do canal vaginal, fortalecendo-o. Esse exercício, chamado pompoarismo, permite massagear e pressionar o pênis durante o contato íntimo.

Vibrador anal
Os vibradores estão com aparência menos agressiva, em formatos anatômicos e com design diferenciado. Alguns são tão bonitos e discretos que daria até para usar como objeto de decoração na sala. O da cor verde (na foto), por exemplo, funciona como uma língua vibradora para o clitóris, dando à mulher a sensação de que alguém está fazendo sexo oral nela.

Plug anal
Assim como os vibradores, os plugs anais também ganharam nova roupagem, fugindo dos modelos tradicionais. Variam de luxuosos, com pedras brilhosas, aos que têm rabo de pelúcia. Com diâmetros variados, o plug ajuda nas primeiras relações e dá segurança para quem quer experimentar. Seu uso é recomendado com lubrificante.

Folha de Pernambuco


0 comentários:

Postar um comentário