terça-feira, 25 de julho de 2017

Paralisação dos médicos deixa quase 2 mil pessoas sem atendimento em Petrolina

A categoria não aceitou o reajuste salarial concedido pela Prefeitura Municipal de 6.29% para todos os servidores.

Cerca de 2 mil pacientes que estavam com consultas agendadas para esta terça-feira (25) ficaram sem atendimento. O motivo é que os médicos da Rede Municipal de Saúde iniciaram uma paralisação que segue até a próxima quinta-feira (27). Essas consultas serão reagendadas de acordo com a disponibilidade de vagas das unidades.

Nas Unidades Básicas de Saúde, 58 médicos paralisaram as atividades. Já na atenção especializada, que corresponde, por exemplo, aos Centros de Atenção Psicossocial e AME Policlínica, foram 5 especialistas. De acordo com a Secretaria de Saúde, apenas o atendimento médicos foi suspenso, os outros serviços estão funcionando normalmente.

A categoria não aceitou o reajuste salarial concedido pela Prefeitura Municipal de 6.29% para todos os servidores.


“Nós lamentamos essa paralisação dos médicos, prejudicando um serviço tão essencial para a população. A proposta inicial, levando em consideração que esses servidores foram penalizados nos anos anteriores, seria de um reajuste de 5%, em cima do salário base, custeado com recursos próprios. Após várias rodadas de negociações, o prefeito Miguel Coelho autorizou, mesmo em um cenário de dificuldade econômica, alterar o reajuste para 6.29%. A gestão municipal resolveu assumir os custos do reajuste, a fim de que todos os servidores fossem contemplados”, explicou a secretária de saúde, Magnilde Albuquerque.


De acordo com a secretária, os médicos do município foram os únicos que não aceitaram a proposta do reajuste salarial.

Clêilma Souza – Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde de Petrolina


0 comentários:

Postar um comentário