quinta-feira, 13 de julho de 2017

Lula critica Moro, fala em falta de provas e cobra do PT sua candidatura para 2018


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em pronunciamento nesta quinta-feira em São Paulo, fez questão de se colocar no cenário político em 2018 e disse que vai pedir ao PT para ser o candidato do partido à Presidência. Lula disse ainda que “somente na política quem tem o direito de decretar o meu fim é o povo brasileiro”.

_ Se alguém pensa que com essa sentença me tiraram do jogo, pode saber que eu estou no jogo _ declarou. _ Quero dizer ao meu partido que, até agora, não tinha reivindicado, mas vou reivindicar, de me colocar como postulante à Presidência da República em 2018.

No pronunciamento, Lula mostrou-se pouco otimista em uma reversão da sua condenação em segunda instância. Ao falar de uma candidatura dele ao Planalto, o petista dirigiu-se a seu advogado e disse que ele terá muito trabalho porque seu cliente será "um pré-candidato com um problema jurídico nas costas”.

_ Não sei se isso é para o bem ou para o mal. Mas você vai ter um pré-candidato com um problema jurídico nas costas e eu tenho que fazer duas brigas. Primeiro brigar juridicamente para ganhar o direito de ser candidato.

_ Quem acha que é o fim do Lula vai quebrar a cara _ afirmou.


Num aperitivo do discurso que o PT deverá fazer na corrida eleitoral em 2018, o ex-presidente voltou a resumir a disputa política no país entre pobres contra ricos.

_ Senhores da Casa Grande, permitam que alguém da senzala faça o que vocês não têm competência de fazer. Permita que alguém cuide desse povo porque ele não está precisando ser governado pela elite, mas por alguém que conheça a alma dele e saiba o que é a fome e o desemprego e a vida dura que leva o povo pobre desse país.

Sem citar os adversários políticos, Lula também usou

Diante de manifestantes a favor dele, Lula criticou a decisão de Moro de condená-lo.

— Moro prestará conta para a História. Ela vai dizer quem estava certo e quem estava errado.

O ex-presidente voltou a alegar inocência no caso do tríplex de Atibaia, ironizando o fato de precisar arcar com uma multa aplicada pelo juiz Sergio Moro na sentença divulgada ontem. O dinheiro serviria para ressarcimento da Petrobras.

— Não sou dono de um tríplex, não tenho um tríplex. E ainda fui multado em 700 mil reais. Porque agora o tríplex é da União. Eles tomaram o tríplex e eu tenho que pagar 700 mil reais para a Petrobras. Eles podiam me dar o tríplex eu vendia o tríplex e pagava a multa. Senão o que vai acontecer é que vamos fazer que nem arrecadação de dízimo.

O Globo


0 comentários:

Postar um comentário