quarta-feira, 26 de julho de 2017

Goleiro Max, ex-Botafogo, tem morte cerebral confirmada aos 42 anos


Foi confirmada na tarde desta quarta-feira a morte encefálica do ex-goleiro do Botafogo, Maxlei dos Santos Luzia, o Max, de 42 anos. A informação foi confirmada pelo GloboEsporte.com com a família do ex-jogador e com o neurocirurgião Haroldo Chagas - responsável pelo acompanhamento do ex-atleta. Max foi submetido a testes neurológicos no Hospital da Lagoa, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde estava internado, assim como nesta terça-feira, e não respondeu aos estímulos - o que atestou a morte cerebral. O local do enterro ainda não foi divulgado.

Max foi internado no Hospital da Lagoa no fim de junho com edema cerebral, 20 dias depois de sofrer um acidente em uma tentativa de assalto em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, mas as causas da morte de Max podem não ter tido relação direta com a batida.

- Os médicos ainda não têm um diagnóstico fechado do que ele tem. Acreditam que seja uma doença rara e autoimune, que o acidente acabou sendo coincidência. Mas ainda não dá para afirmar por ele não ter esse quadro fechado - declarou a esposa Marilda antes da morte.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Botafogo, será realizado um minuto de silêncio na partida do clube desta quarta-feira contra o Atlético-MG, pelo jogo de volta da Copa do Brasil. O confronto acontecerá no Estádio Nilton Santos, a partir das 19h30.

A carreira


Revelado pela Portuguesa-RJ, Max teve passagens por America, Bangu, Friburguense, Vila Nova-GO, Itumbiara, Joinville e Boa Esporte. O arqueiro viveu o grande momento da carreira no período em que atuou pelo Botafogo, entre 2002 e 2007, quando foi titular diversas vezes no clube e conquistou o Carioca de 2006. Antes de se aposentar, defendeu o Barra da Tijuca, em 2014.

Por Globoesporte.com


0 comentários:

Postar um comentário