segunda-feira, 17 de julho de 2017

CPRH repatria araras e tucanos para o Amapá

Primeiro grupo segue nesta terça (18), em voo da Latam. Antes, Centro de Triagem de Pernambuco receberá de São Paulo 56 aves que foram vítimas do tráfico de animais silvestres (Foto: CPRH/Divulgação)

Após mais de oito meses sendo reabilitados no Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas Tangara), da Agência Estadual de Meio Ambiente), doze araras e dois tucanos serão repatriados, esta semana, para o Amapá, na Região Norte. Eles serão enviados em voos Recife/Macapá – o primeiro nesta terça (18), às 15h30 –, em caixas apropriadas. Também nesta terça, a CPRH recebe 56 aves típicas do Nordeste, vítimas do tráfico, que foram apreendidas em operações da Polícia Militar de São Paulo.

As doze araras e os dois tucanos que seguirão para o Amapá também foram vítimas do tráfico. São aves de ocorrência no Amazonas e em áreas do Cerrado, no Norte do país, apreendidas em operações diversas, envolvendo o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais), a Cipoma (Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente) e a própria CPRH. Serão entregues ao Centro de Triagem do Amapá, do Ibama, que posteriormente fará a soltura.

São seis araras-canindé (Ara ararauna), quatro araras-vermelha (Ara chloropterus) e duas araras-piranga (Ara macao), além dos dois tucanos (Ramphastos tucanus). O grupo viajará em voos separados por exigência da companhia aérea para este tipo de transporte. Seguirá pela companhia Latam, numa parceira com a agência ambiental. No primeiro, nesta terça, irão quatro araras-canindé, que só devem desembarcar em Macapá por volta das 02h30 da quarta (19).

Já o novo grupo de aves que serão repatriadas de São Paulo para Pernambuco virá em voo da Gol, com previsão de chegada para às 13h30. Elas foram tratadas no Centro de Triagem da Divisão de Fauna (Depave), da Prefeitura de São Paulo, após serem apreendidas em operações da PM paulista no Estado. Após o desembarque, as aves serão levadas para o Cetas Tangara, da CPRH, no bairro da Guabiraba, Recife, onde passarão por um período de observação e readaptação, antes de serem devolvidas à natureza.

São 26 galos de campina, 15 coleirinhos baianos (papa-capim), oito corrupiões, 5 golinhos (patativas), um papagaio-verdadeiro e um periquito da caatinga. Este é o segundo repatriamento de aves que a CPRH recebe de São Paulo. No primeiro, em janeiro deste ano, o Cetas também acolheu 56 aves – igualmente vítimas do tráfico –, todas devolvidas à natureza aproximadamente um mês depois da chegada, em áreas de soltura do Estado.

Núcleo de Comunicação Social e Educação Ambiental - NCSEA
Agência Estadual de Meio Ambiente - CPRH


0 comentários:

Postar um comentário