domingo, 4 de junho de 2017

WWF-Brasil participa da Conferência da ONU sobre os Oceanos 2017

O WWF-Brasil participará da conferência junto com o Ministério do Meio Ambiente, que realizará uma apresentação sobre o Santuário de Baleias do Atlântico Sul; Durante o século 20, quase 3 milhões de baleias foram mortas em todo o mundo – 71% delas foram caçadas no hemisfério sul.

Na mesma semana em que se comemora o Dia Mundial dos Oceanos (08/06), a Organização das Nações Unidas (ONU) realiza, entre os dias 5 e 9 de junho, a Conferência sobre os Oceanos 2017. O evento, que acontece na sede da ONU em Nova Iorque, terá como tema Nossos Oceanos, Nosso Futuro: Parcerias para a Implementação do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 14.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram lançados em 2015 e são metas por um mundo melhor a serem realizadas por todos os países até 2030. São 17 ODS ao todo, indo desde Erradicação da Pobreza (ODS 1) até o Fortalecimento de Parcerias Globais (ODS 17).

O enfoque do evento será no Objetivo 14, que busca a conservação e o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável, através de uma série de chamadas para ação, como a redução da poluição marinha, a eliminação da sobrepesca e de práticas de pesca destrutivas, e beneficiamento econômicos para países pequenos e menos desenvolvidos a partir do uso sustentável dos recursos marinhos (gestão sustentável da pesca, aquicultura e turismo).

O WWF-Brasil participará da conferência junto com o Ministério do Meio Ambiente, que realizará uma apresentação sobre o Santuário de Baleias do Atlântico Sul e sua relação com as metas do ODS 14. O evento paralelo será realizado no dia 7 de junho, às 17h, na sede da ONU em Nova Iorque, e contará com a participação de representantes do Governo do Brasil, Argentina, Uruguai e Gabão além de outras personalidades engajadas na conservação da biodiversidade marinha.

Contexto

As águas do Oceano Atlântico Sul abrigam mais de 50 espécies de cetáceos. Sete destas espécies (baleia-azul, baleia-fin, baleia-sei, baleia-minki-austral, baleia-jubarte e baleia-franca-austral) são baleias altamente migratórias que se alimentam nos oceanos antártico e subantártico durante o verão e se reproduzem em águas tropicais, subtropicais e temperadas do Oceano Atlântico Sul no inverno e na primavera.

Todas as espécies de grandes baleias foram exploradas pela caça comercial de baleias no Oceano Atlântico Sul e cada espécie sofreu diferentes graus de exploração, tendo algumas populações sido severamente esgotadas. Embora protegidas por uma moratória internacional sobre a caça às baleias, a maioria dessas espécies que frequentam o Oceano Atlântico Sul permanecem em perigo.

Atualmente os principais vetores de pressão nas populações de grandes baleias são as , o emaranhamento em redes de pesca, colisões com navios, contaminantes, ingestão de detritos, poluição acústica e sonora, exploração de hidrocarbonetos, mudanças climáticas, mortes e outros.

O Santuário e a ODS 14

Durante o evento paralelo à Conferência sobre Oceanos será debatida a importância de se criar o Santuário e sua relação com o ODS 14. O Santuário de Baleias tem como objetivo central evitar, mitigar e reduzir esses impactos e ameaças no Atlântico Sul, se correlacionando diretamente com quatro das sete metas do ODS 14. Estando entre eles o incentivo às atividades de turismo sustentável, voltada para observação de baleias. Além de também contribuir com a redução da acidificação do oceano, restauração dos estoques pesqueiros e fortalecimento da resiliência, produtividade e saúde dos oceanos.

Sobre o WWF

O WWF-Brasil é uma organização não governamental brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

JB Press House


0 comentários:

Postar um comentário