sexta-feira, 16 de junho de 2017

Petrolândia: Sem dinheiro, Prefeitura promove três eventos festivos e Oposição lamenta não ter espaço para dar festa à população


A atração da Feirarpe chegou a ser anunciada no 1º Arraiá dos Amigos (Reprodução)

Por meio de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Promotoria de Justiça de Petrolândia e a Prefeitura de Petrolândia, entre outras partes envolvidas, publicado na última quarta-feira (14) no Diário Oficial do Estado de Pernambuco, são divulgadas as recomendações e compromissos para a realização de festas nos dias 24 e 30 de junho, promovidas pela Prefeitura Municipal. Até o momento, não se sabe quais serão as atrações nem de onde sairão os recursos para realizar tais eventos. Há poucos dias, a prefeitura convidou os marchantes do Matadouro Público a fazer uma 'vaquinha' de financiamento da reforma do estabelecimento, caso contrário o espaço será fechado, porque a prefeitura não tem dinheiro para fazer a reforma exigida pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Antes, porém, das festas de 24 e 30 de junho, comemorações do São João e Emancipação Política, respectivamente, a Prefeitura de Petrolândia ainda vai tirar das goelas o dinheiro que não tem para promover a Feira de Artesanato e Gastronomia de Petrolândia (Feirarpe), programada e divulgada com antecedência nunca antes vista, para ser realizada neste sábado (17), às 19h00, na Praça da Matriz. Ora, se a prefeitura está em situação de penúria, como se declara, financeiramente e administrativamente, seria mais prudente realizar a Feirarpe no dia 24 ou 30, para aproveitar toda a estrutura e público sem despesas adicionais, necessárias para um evento solo. Mas, na mesma data e horário da Feirarpe, acontecerá no Projeto Apolônio Sales, no campo da feirinha, o 1º Arraiá dos Amigos, promovido pela Oposição do Município.

Segundo exposto no plenário da Câmara por um dos vereadores de Oposição, na sessão de quarta-feira (14), a comissão organizadora do Arraiá dos Amigos solicitou à Prefeitura autorização para realizar a festa na Praça da Matriz e foi negada. Em seguida, pediu autorização para fazer a festa em frente ao Mercado Público, onde a prefeitura realiza seus eventos, e a resposta também foi negativa. Então, os organizadores decidiram fazer no Projeto Apolônio Sales a festa que pretendiam promover no centro, com acesso mais fácil aos moradores da cidade.

Sobre o assunto, na tarde desta sexta (16), a reportagem do Blog de Assis Ramalho conversou com o empresário Fabiano Marques, um dos organizadores do Arraiá dos Amigos.

"Primeiro, o prefeito passou 10 dias para responder o ofício nosso e dizer que não podia lá [na Praça da Matriz], porque ia ter uma feira, chamada Feirarpe, que ia ocorrer atrás da Prefeitura. Então, a gente argumentou o seguinte: que, se iria ter a feira, por que não uma festa ao lado, porque uma coisa ajudava a outra, mas não tivemos resposta. Logo depois, a comissão de organização do Arraial mandou outro ofício, pedindo o espaço da frente da Prefeitura, no estacionamento do Mercado [Público], que é um espaço muito bom no centro da cidade. Então, novamente foi negado, dizendo que o prefeito ia baixar um decreto, proibindo festa nesses locais, o que eu acho um absurdo. Já que a prefeitura já não faz festa, não tem condições de fazer festa, por que burocratizar um espaço público, onde ia ser feito uma festa totalmente grátis pro povo de nossa cidade, pra alavancar o comércio, porque uma coisa leva à outra, alavanca o comércio, gera emprego, tudo isso? A gente fica triste, porque não é uma coisa política, é uma coisa que a comissão viu que Petrolândia estava precisando de uma festa, algum festejo junino, pra não deixar a cultura acabar em nossa cidade, e a gente vê que quem mais era pra apoiar o nosso evento, era a Prefeitura e está fazendo é atrapalhar e boicotar. É tanto que, se você for olhar os patrocinadores, em peso o comércio local apoiou, e o pior, o prefeito do município de Tacaratu, como pessoa física, está apoiando. Ora, Tacaratu já faz muito bem o dever de casa [todas as festividades tradicionais foram mantidas, mesmo sob crise financeira e, no mandato anterior, política], ainda está ajudando o povo de Petrolândia, patrocinando um evento que era de obrigação da Prefeitura de Petrolândia. Acredito que é uma vergonha pro nosso município", afirma Fabiano.

O ex-vereador Fabiano ainda comentou que, após ser divulgada a realização do arraial no Projeto Apolônio Sales, o cantor contratado para abrir a festa desistiu de participar do evento, supostamente por ter recebido melhor oferta da Prefeitura de Petrolândia para se apresentar na Feirarpe, na Praça da Matriz, local onde o Arraial dos Amigos não poderia acontecer.

A Feirarpe teve sua primeira edição em 2010, na Praça da Matriz, com a pretensão de ser um evento quinzenal. No mesmo ano, houve ainda uma edição especial, durante a Festa de Emancipação, em que a feira foi instalada na Orla Fluvial. De lá para cá, a Feirarpe mudou de lugar, passou a ser no último final de semana de cada mês, depois virou evento esporádico, sem periodicidade definida. A última edição, realizada em abril deste ano, a primeira da nova gestão municipal, foi organizada como cenário para o lançamento de um projeto musical.

Em Petrolândia, onde as ruas são obstruídas para festas e, dia e noite, as calçadas, praças, canteiros e até o leito das ruas e avenidas estão tomados por mesas, cadeiras, tendas, churrasqueiras, mercadorias e aparatos de todo tipo e qualidade, apesar de obrigatória, parece ser burocracia desnecessária, ao realizar eventos, pedir autorização da Prefeitura, onde foi instalado um "puxadinho" nos fundos, com um empreendimento informal, inclusive com som automotivo, supostamente proibido pelo MPPE, como presenciamos após a sessão da Câmara Municipal, na noite de quarta (14).

Deixamos o espaço aberto caso a Prefeitura queira se manifestar sobre o assunto.

Redação do Blog de Assis Ramalho


0 comentários:

Postar um comentário