quarta-feira, 7 de junho de 2017

Em Paulo Afonso, sociedade reúne forças em defesa do Rio São Francisco

Fotos: Juciana Cavalcante/Ascom CBHSF

Enfrentando o desafio de firmar ações voltadas para a preservação ambiental, a cidade de Paulo Afonso (BA) onde foi realizada a campanha “Eu viro carranca para defender o Velho Chico”, aponta para ações permanentes de preservação no local que abriga um dos maiores complexos energéticos do país. A campanha idealizada pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco em 2014, reuniu na cidade, no último dia 03 de junho, representantes de diversos órgãos e entidades com o objetivo de abordar ações efetivas para a preservação do rio e seus afluentes.

Integrando a programação o Seminário “Recursos Hídricos, Outorgas e Reuso de Águas”, ministrado pelo professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Abelardo Montenegro, apresentou experiências de convivência com a escassez e o desafio da eficiência propondo aspectos que envolvem o abastecimento, saneamento, conservação, produção e reuso. O trabalho de monitoramento de sistemas e concepções eficazes voltadas para a convivência com a escassez hídrica através da Unidade Piloto de Reuso Hidro-agrícola de esgoto doméstico tratado realizado pela universidade considera aspecto quantitativo e qualitativo incluindo sistemas de conservação, produção e tratamento de pequeno porte, relativo baixo custo, e com impacto ambiental reduzido. “Espera-se oferecer melhores condições e oportunidades à sociedade em futuro próximo que dependem de segurança hídrica e alimentar”, explicou.
Com o debate, novas abordagens foram realizadas sobre propostas sustentáveis do reuso doméstico da água, além das linhas de crédito de incentivo. “O tema é muito oportuno e mostra ser possível reutilizar a água de maneiras relativamente simples. O que é necessário é o investimento por parte dos entes públicos para criar essa cultura e subsidiá-lo”, afirmou Antônio Jackson Borges, aposentado.

Durante o encontro que contou com distribuição de plantas nativas em um incentivo a arborização da cidade, também foi realizada reunião dos membros da Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco contando com a presença de representantes das cidades de Petrolina, Cabrobó, Lagoa Grande, Serra Talhada em Pernambuco e Juazeiro, Jacobina, Chorrochó, Sobradinho e Paulo Afonso na Bahia, além da Universidade Federal Rural de Pernambuco (Codevasf), Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A (Embasa), Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade ICMBio, Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), ONG Agendha, Fundação Nacional do Índio (Funai), Ascopa, 1ª Companhia de Infantaria, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), comunidade indígena Pankará da Aldeia Serrote dos Campos, no município de Itacuruba-PE e servidores municipais das cidades de Paulo Afonso, Glória, Delmiro Gouveia.

Texto: Juciana Cavalcante/Ascom CBHSF


0 comentários:

Postar um comentário